Por: Coluna Pelo Estado

Enquanto concessionária pública de distribuição de gás natural no território catarinense, a SCGÁS tem buscado historicamente expandir o mercado de gás natural para novas regiões do estado. Além dos investimentos na região litorânea, que concentra os maiores volumes de consumo, a companhia tem investido também na interiorização da infraestrutura de distribuição.

Com mais de 1,2 mil km de rede, a SCGÁS atende 64 municípios. São mais de 16 mil clientes diretos consumindo gás natural, dos segmentos industrial (82% do volume), veicular (16% – a frota de GNV em SC é superior a 105 mil veículos), comercial e residencial (2%).

A última década foi marcada pela vantagem em tarifa, que tem se mantido a menor do país em Santa Catarina há mais de sete anos. “A competitividade do gás natural da SCGÁS tem proporcionado condições favoráveis para o mercado catarinense no cenário nacional. O preço e a oferta são fatores decisivos para atrair novos investimentos e ampliar os empreendimentos atuais”, afirma o presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl.

Visando atender à demanda por novos pontos de consumo de forma eficiente, a SCGÁS aperfeiçoou e acelerou os processos para ligação de novos clientes. Somente em 2020, por exemplo, mais de 1.000 clientes foram interligados à rede distribuição nos diversos segmentos de consumo.

Na área da infraestrutura, a empresa executa desde 2013 um dos maiores projetos de rede de gás natural desenvolvidos no país: o Serra Catarinense abrange 16 cidades, com mais de 230 km, de Indaial a Lages. Hoje a rede está em Rio do Sul e há um novo trecho de obras até Pouso Redondo em execução.

Além disso, recentemente a empresa iniciou o abastecimento em Lages por meio de um projeto inovador com redes locais e isoladas. No horizonte de investimentos planejados com esse mesmo modelo, a SCGÁS pretende abastecer Canoinhas e Três Barras, no Planalto Norte Catarinense e estudar opções para o Oeste e Meio-Oeste catarinense.

Consumo

Em fevereiro, a companhia lançou o seu maior pacote de obras desde sua fundação: de 2020 a 2024 a empresa investirá mais de R$ 410 milhões, com a meta de dobrar o número de clientes no período e implantar mais de 400 km de rede de distribuição, com novas 16 cidades atendidas.

Os meses de junho, julho e agosto apresentaram forte reação de consumo e mesmo com a pandemia a empresa entrega volumes muito próximos do período antes da crise o que exige soluções de curto, médio e longo prazo para a questão do suprimento seja pela infraestrutura de transporte atual ou por novos modais. A companhia busca agora novas alternativas de suprimento para ampliar ainda mais a oferta ao mercado catarinense.

Demandas recentes de clientes com volumes de mais 140 mil metros cúbicos de gás, no curto prazo, e 100 mil no médio prazo, reforçam a necessidade de superar as atuais limitações de abastecimento por meio de novas alternativas de suprimento. Essa demanda do mercado abastecido se soma a importante reação do mercado de GNV nos últimos dois anos e com as novas cidades e mercados que passam a ser atendidos com a chegada de novas redes de distribuição.