Por: Coluna Pelo Estado

Considerando o cenário de mudanças no setor de Gás Natural brasileiro e da pandemia, o gerenciamento de crises surge como uma ferramenta estratégica para as empresas. Pensando nesta realidade, a SCGÁS se especializou em gestão de crise e, após estudos de cenários realizados desde o ano passado, a Companhia lançou um manual para gerenciamento de crise e criou processos e um comitê com áreas e setores mais afeitos à resposta às crises.

 O projeto contou com a participação do professor João José Forni, especializado em gestão de crises e um dos principais consultores da área no país. “A SCGÁS, quando comparada a empresas de porte semelhante, tem uma grande vantagem em ter saído na frente: sistematizou um setor que cuidará de todas as crises da empresa. Além disso, instituiu uma gestão enxuta e ágil para tomar decisões, porque não precisa recorrer a vários escalões num momento conturbado. Por fim, a sinergia que existe entre o pessoal da comunicação e os que dirigem as áreas de risco, compliance e auditoria facilita muito o trabalho do Gabinete de Crise”, pontua Forni acerca das particularidades da gestão de crises na SCGÁS.

 O manual de Gestão de Crises, um dos resultados do Projeto que iniciou em 2020, tem o objetivo de orientar os gestores e colaboradores da SCGÁS sobre os procedimentos necessários para atuação em uma situação de crise, assim como disciplinar sobre ações e atitudes de prevenção. Ao definir crise como um evento que apresenta ameaça grave às pessoas, meio ambiente, aos ativos, à reputação da SCGÁS, à continuidade dos negócios ou ao patrimônio público e/ou privado, o documento mapeou tipos de crises e quais ações devem ser tomadas pelo comitê durante e após o período de crise.

 Na última terça-feira, 28, em reunião online, a Distribuidora catarinense concluiu mais uma etapa do projeto, apresentando o manual e o recém formado comitê permanente de crises para todos os colaboradores.

 “O Projeto de Gestão de Crise é muito importante, pois estudando e mapeando os possíveis cenários de crises, podemos nos preparar melhor caso esses momentos aconteçam, zelando pela segurança das pessoas e pela integridade do patrimônio da Companhia. Por isso, o projeto não acaba aqui, agora vamos treinar as pessoas envolvidas e continuar sensibilizando todos os colaboradores, que são essenciais nesse processo”, explica Carlos Eduardo Herrmann do Nascimento, coordenador do Comitê de Crises da SCGÁS e Diretor Técnico Comercial da Companhia.

Projeto de Gestão de Crise na SCGÁS

A SCGÁS iniciou o projeto de Gestão de Crises em 2020, mesmo antes da pandemia, em parceria com a empresa Comunicaz. O projeto envolveu diversos estudos e mapeamento de riscos, definiu princípios que devem nortear o gerenciamento de crises e as etapas para avaliação e diagnóstico.

 Assim como, também definiu dez colaboradores de áreas e setores mais efeitos na resposta às crises para compor o Comitê de Prevenção e Gestão de Crises da SCGÁS e porta-vozes para cada situação que será vivenciada.

 “A prática tem demonstrado que as empresas que institucionalizaram uma área e um time de crise saem mais rápido de eventuais crises graves e têm menos impacto financeiro ou prejuízo. Porque elas sabem o que irão fazer no momento de uma crise grave, além de uma equipe preparada com ações operacionais e de comunicação, treinadas e, em muitos casos, preparadas com simulações de crises graves”, conclui Forni acerca da importância da Gestão de Crises.

Pelo Estado