Por: Andréa Leonora

Durante coletiva na manhã desta quinta-feira, 19, o secretário da Saúde de Santa Catarina, Helton de Souza Zeferino, acompanhado do chefe da Casa Civil, Douglas Borba, e do comandante-geral da PMSC, Cel Araújo Gomes, voltou a reforçar a necessidade das medidas de isolamento para evitar uma disseminação ainda maior do coronavírus no estado. De terça para quarta-feira o número de casos confirmados em Santa Catarina dobraram e com a mudança de metodologia na realização de testes é possível que o número de infectados não diagnosticados seja ainda maior que os dados informados.

“A partir de agora, os testes serão feitos por amostragem em todas as regiões do estado”, afirmou Zeferino.

O comandante da Polícia MIlitar, coronel Araújo Gomes, pediu compreensão das pessoas no cumprimento do decreto publicado na quarta-feira, 18, que determina o fechamento de estabelecimentos não essenciais e a não circulação de transporte público nos limites do estado. Empresas com mais de 50 funcionários também devem adotar medidas para trabalho home office.

“Pedimos é que as pessoas tenham consciência do nosso grau de urgência nas ruas porque nós sabemos que nem começou. É como se nós tivéssemos na fase de alerta de um furacão, nós estamos preparando a cidade, preparando as casas, nos cuidando para que o impacto seja o menor possível”, destacou o comandante.

Até o momento são 14 infectados em Santa Catarina. Dois seguem internados em UTIs, um em Braço do Norte, Sul do Estado, e outro em Florianópolis. O estado de saúde dos pacientes é estável, informaram as autoridades. 

Na quarta-feira, 19, a cidade de Balneário Camboriú, importante destino turístico em Santa Catarina, fechou o acesso terrestre para pessoas vindas de outras regiões.

Falta equipamento para profissionais de saúde

Helton Zeferino confirmou a falta de equipamentos de proteção para profissionais que atuam no sistema de Saúde do estado, principalmente álcool em gel e máscaras. 

“Estamos sim com dificuldades de aquisição de insumos. Estamos trabalhando com novos fornecedores catarinenses de álcool em gel e também para o fornecimento de máscaras”, explicou.

SC pode estar com mais de 200 infectados 

Segundo presidente do Hospital Albert Einstein de São Paulo, médico-cirurgião Sidney Klajner, em entrevista ao Estadão, o pico dos casos na epidemia de covid-19 no Brasil deve ocorrer no início de abril.

Segundo o médico, as análises já feitas sobre o comportamento do vírus apontam que para cada caso notificado no Brasil é possível que existam outros 15 infectados não notificados.

Seguindo esta matemática, em Santa Catarina, é possível estimar que o número de infectados possa já ter chegado a 210 casos, sendo que apenas 14 deles foram confirmados pelas autoridades sanitárias.