Prefeituras do Litoral devem aumentar rigor contra aglomerações nas praias neste feriadão 
O aumento no número de casos de covid-19 após o feriado de 12 de outubro motivou a recomendação do MPSC às prefeituras de Florianópolis, Imbituba e Balneário Camboriú


Por: Coluna Pelo Estado

Após as cenas de aglomeração em praias, bares e restaurantes registradas no feriado de 12 de outubro, o Ministério Público emitiu recomendação aos prefeitos de Imbituba, Balneário Camboriú e Florianópolis para que aumentem o rigor das medidas contra covid-19 nos próximos três dias, por conta do feriado prolongado de Finados.

O aumento no número de casos de covid-19 que vêm sendo registrados desde então, principalmente nas regiões litorâneas e turísticas, foi o que motivou a medida. Nos hospitais, após uma queda na ocupação dos leitos de UTI, o número de pacientes que precisam de tratamento intensivo vem crescendo novamente.

O governo do Estado informou, em nota, que equipes de fiscalização e vigilância do Estado de Santa Catarina e dos municípios da região da Grande Florianópolis estarão nas ruas fiscalizando e promovendo o cumprimento das regras sanitárias no feriado.

Para encaminhar estas medidas, foi realizada uma reunião conjunta entre o Ministério Público com representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SES), polícias Civil e Militar, prefeitos e secretários municipais de Saúde da Grande Florianópolis, Vigilância Sanitária Estadual, secretários municipais de segurança e guarda municipal e Abrasel (que representa hotéis, bares e restaurantes da região).

A Vigilância Sanitária irá fiscalizar restaurantes, hotéis e bares para avaliar o cumprimento das regras sanitárias referente à pandemia de Covid-19. E a Vigilância Estadual e suas regionais irão apoiar as demandas dos municípios. Foi definida que uma ação será realizada com foco nas praias, parques e rotas gastronômicas.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Raquel Bittencourt, o estado elaborou diagnóstico do cenário atual da pandemia e dos reflexos da aglomeração registrada no feriado de 12 de outubro no número de casos diários. E foi constatado que a região da capital vem apresentando alta em número de casos nos últimos dias.

Florianópolis tem 84,66% dos leitos de UTI ocupados

O aumento notório das aumento das taxas de ocupação dos leitos de enfermaria e UTI na Grande Florianópolis após o último feriadão, há cerca de duas semanas, também motivou a recomendação do MPSC. Segundo o promotor de Justiça Luciano Trierweiller Nascheweng, já há hospitais da rede privada com 100% de ocupação e mais de 84,66% dos leitos de UTI para adultos em Florianópolis estão ocupados. Além disso, a Unimed Grande Florianópolis determinou a suspensão das cirurgias eletivas a partir de 20 de outubro por causa do crescimento de internações por covid-19.

Grande Florianópolis segue com a maior taxa de contágio de covid-19 de SC

No último boletim divulgado pelo Necat/UFSC (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense), com análise dos dados da semana entre 15 e 22 de outubro, a Grande Florianópolis apresentou a maior taxa de crescimento de casos dentre todas as regiões de Santa Catarina. Além disso, o estudo mostra a continuidade da expansão da doença por diversas cidades próximas à capital do estado.

O número absoluto de casos oficiais passou de 41.306, em 15.10.20, para 45.662, em 22.10.20, representando um aumento de 10,5% na semana passada. Em termos absolutos significou a ampliação de 4.356 novos casos em apenas uma semana. Com isso, a participação relativa da mesorregião no total estadual aumentou para 19,5%, ou seja, mais de um ponto percentual em apenas sete dias.

Outras regiões
Enquanto há uma continuidade da aceleração mais forte da curva de contágio na Grande Florianópolis, a curva de contágio desacelerou bastante na última semana no Vale do Itajaí, Oeste, Norte e Serrana, regiões que apresentaram taxas de crescimento de 2,5% no período considerado, indicando uma possível estabilidade do processo de contágio. Já no Sul a taxa de crescimento se situou em 3%, um patamar ligeiramente acima daquele verificado em todas as demais mesorregiões, exceto no caso da Grande Florianópolis.

Vale do Itajaí permanece com maior percentual de casos
Embora com menores taxas de crescimento, a região do Vale do Itajaí permanece com o maior percentual de participação estadual, ao manter o número de casos num patamar elevado, mesmo que o ritmo de crescimento de novos casos tenha ficado em 2,5% na última semana.

*Com informações do MPSC, Secom/SC e Necat/UFSC

Foto de capa: Praia dos Ingleses/Reprodução/Facebook (agosto 2020)

com informações MPSC, Secom/SC e Necat/UFSC
Jonathas Guerra Maquinas