Por: Coluna Pelo Estado

A 29ª Promotoria de Justiça da Capital, com atuação estadual na área do consumidor, arquivou o inquérito civil que apurava os supostos abusos na cobrança de energia elétrica nas faturas do verão de 2018/1019. Após perícias e estudos feitos por setores técnicos do Ministério Público e por diversos órgãos, além de auditoria em medidores, não foram identificados elementos que pudessem demonstrar eventual conduta inadequada da Celesc no faturamento.

Durante a perícia, foram realizadas aferições em 1200 medidores (residências), selecionadas entre as reclamações registradas nos Procons, na ouvidoria da Celesc e no Ministério Público – MPSC. As aferições foram realizadas com acompanhamento do Imetro/SC e MPSC.

Após a análise, verificou-se que das 1200 aferições solicitadas pelo MP apenas 0,6% (7 medidores) do total estavam fora dos limites da norma regulatória, medindo a mais, sendo que todos os medidores foram substituídos pela empresa no momento da aferição. A Celesc também promoveu a compensação desses clientes, conforme previsto em resolução da agência reguladora.

Desta forma, o MP confirmou as informações repassadas, à época pela Celesc, de que o aumento do consumo de energia elétrica pelas famílias, devido às altas temperaturas do verão 2018/2019, implicou no aumento da conta. Para orientar o consumidor sobre uso consciente da energia, e conforme compromisso da nova gestão da empresa na ocasião, a Celesc vem realizando campanhas frequentes, com dicas para evitar o desperdício no consumo e o aumento excessivo da fatura de energia elétrica.

O consumidor pode encontrar as dicas no site da empresa e nas redes sociais oficiais da Celesc. É possível consultar, inclusive, um simulador de consumo.