Por: Andréa Leonora

Quando assumiu o comando do Estado, Carlos Moisés anunciou um novo modelo para a Segurança Pública. Ao invés de escolher um profissional da área ou um político experiente, o governador propôs um colegiado onde a cada ano um dos seus representantes assumisse a pasta.

O rodízio começou em 2019 com o Coronel Araújo Gomes, Comandante da PMSC; e seguiu em 2020; com Paulo Koerich, Delegado Geral da Polícia Civil. Agora, o Coronel do Corpo de Bombeiros, Charles Alexandre Vieira, assume a cadeira. O ciclo será encerrado em 2022 com o chefe do Instituto Geral de Perícias (IGP), cargo ora ocupado por Giovani Adriano.

O colegiado chega ao seu terceiro ano com queda em quase todos os índices de criminalidade – furto, roubo, mortes violentas, latrocínio, lesão corporal seguida de morte, homicídio e feminicídio. Os dados foram levantados pela Gerência de Estatística e Análise Criminal e são comparativos com o ano de 2019.

Os números de homicídios registrados em 2020, 690, é o menor desde 2008, quando o Estado contou 752 casos. Mais da metade dos municípios catarinenses, 154, não registraram nenhum homicídio ano passado.

O feminicídio e a violência doméstica, que por conta do isolamento social aumentou em todo o país, em Santa Catarina caiu 1,7%.

O latrocínio também caiu de 51 registros em 2008 para 19 em 2020. Em comparação com o ano anterior, a queda é de 32%.

Roubo e furto à instituição financeira também caíram expressivamente. Para se ter uma ideia, em 2014 o Estado chegou a registrar 548 roubos e furtos a banco, número que em 2020 fechou em 63.

“É um compromisso nosso fazer com que a Segurança Pública esteja nas mãos de quem entende. Nossos números mostram que está dando certo”, destaca Carlos Moisés.

 

Carlos Alberto Kita Xavier | Foto Divulgação/Crea/SC

CREA

O Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho, Carlos Alberto Kita Xavier , assumiu o comando do CREA-SC para a gestão 2021/2023. Entre as principais metas estão o incremento da fiscalização, buscando convênios com prefeituras e órgãos públicos para atuação em conjunto; a informatização dos processos e serviços; e a criação da Universidade Corporativa do Crea-SC, em parceria com as instituições de ensino e as entidades de classe, para realização de cursos de capacitação.

 

Compras Públicas

O Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC) publicou no Diário Oficial Eletrônico desta quarta-feira, 6,  a Nota Técnica nº 1 contendo “orientações com objetivo de disseminar boas práticas para melhorar a eficiência na gestão de compras públicas, por meio do aperfeiçoamento da pesquisa de preços em compras de bens e serviços comuns. Elaborado pela Diretoria de Licitações e Contratações (DLC), o documento tem por base jurisprudência do Tribunal de Contas da União (TCU), além do próprio TCE/SC. Na avaliação dos técnicos da Corte de Contas, embora a instrução normativa não abranja estados e municípios, ela pode ser usada como boa prática e ser adotada, com as devidas adequações.

 

Mapa de Risco

Base para todas as ações de combate à Covid-19 em SC, o mapa de Matriz de Risco Potencial de contágio do novo coronavírus será divulgado nesta quinta-feira, 7, pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Desta vez, a pasta informa que passará a considerar a taxa de ocupação de leitos UTI Adulto reservados Covid-19 no seu cálculo. A alteração desta medida se dá pela ação prioritária desencadeada pelo alerta de Capacidade de Atenção que deve priorizar a reativação de leitos reservados.

 

Material Escolar

O ano começa e boa parte das famílias catarinenses retoma o velho ritual de compra de material escolar. Em pesquisa recente, o Procon/SC encontrou diferenças que assustam: produtos similares chegam a variar até 699%, caso de uma caneta esferográfica. O diretor do órgão, Tiago Silva, recomenda que os pais fiquem atentos aos pedidos das escolas, pois algumas instituições podem fazer solicitações que não cabe a eles fornecerem – como álcool, giz e pincel para lousa, lenços descartáveis, copos plásticos ou medicamentos.

Ewaldo Willerding - Pelo Estado