Por: Coluna Pelo Estado

A admissibilidade do processo de impeachment contra o governador Moisés (PSL) promete abalar as estruturas da política catarinense. E não tanto pelo caso concreto em si —que é o aumento de salários para um grupo seleto de 161 procuradores do Estado—, mas pelo ambiente político que se forma em torno da possibilidade do afastamento.

O novo processo, que começa a correr a partir de agora, promete dia a dia minar a já combalida articulação política do governo. O momento, apesar de péssimo em termos de sociedade, afinal de contas enfrentamos a maior crise sanitária da nossa história contemporânea, politicamente é o mais oportuno para os opositores.

Nas próximas semanas, o governador estará ocupado com a formulação da sua defesa sobre o pedido de impeachment quando deverá receber outra bomba: o relatório final da CPI dos Respiradores.

Pode parecer audacioso, mas já tem gente fazendo as contas para o dia depois do amanhã após o eventual impeachment. E não se engane, apesar de não termos tradição de cassar governadores no exercício do mandato no país, podemos acabar tendo um novo chefe no Executivo catarinense eleito por voto indireto antes de 2022.

Nomes como o do ex-candidato Gelson Merísio, agora no PSDB, e do próprio presidente da Alesc, Julio Garcia (PSD), pipocam. As estimativas mais otimistas dizem que em outubro saberemos se haverá ou não o julgamento do impedimento, data que pode marcar o afastamento temporário de Moisés do cargo. Até lá será uma fritura diária atrás da outra.

:. Leia o PDF da Coluna Pelo Estado desta sexta, 24 de julho

O rito

O andamento do processo de impeachment contra o governador, a vice, Daniela Reinehr, e o secretário de Administração, Jorge Tasca, ainda está sendo definido pela área jurídica da Alesc. Há divergências nos prazos entre as leis estadual e federal. Só após a definição do rito é que os envolvidos serão notificados que se abrirão os prazos. Veja como vai funcionar o rito aqui.

.

House of Cards

No bastidor da política catarinense já se fala em plano de conspiração contra o governo Moisés. A estratégia seria desgastar o governo, sem trégua, enquanto se constrói o melhor nome para a sucessão. Candidatos não vão faltar.

.

Colombo

O ex-governador Raimundo Colombo comemorou a decisão da juíza eleitoral de Florianópolis, Margani de Mello, que o absolveu de crime eleitoral no caso da delação da Odebrecht. O ex-governador foi acusado de ter recebido propina de R$ 9 milhões da construtora entre 2010 e 2014 através de caixa 2.

.

Maravilha

Os segmentos de turismo rural, de negócios e de lazer foram priorizados  em Maravilha, no Extremo Oeste. O estudo viabilizará a identificação do potencial local, apontar atrativos e proporcionar infraestrutura. A iniciativa é do Programa Cidade Empreendedora, parceria da Prefeitura e o Sebrae.
.

Pequenos

RS 1,00 por dia é o custo de campanha da da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, voltada especificamente a microempreendedores Individuais, os MEIs, micro e pequenas empresas. A intenção é fomentar o associativismo entre os geradores de pequenos negócios e mostrar as vantagens da rede de descontos e benefícios exclusivos que a entidade oferece.