Por: Coluna Pelo Estado

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) recorreu ao STF para tentar reverter a suspensão do pedido de impeachment, aberto no final de julho, contra Carlos Moisés (PSL). Enquanto isso, um novo pedido de afastamento do governador e da vice, Daniela Reinehr (sem partido), foi protocolado nesta segunda-feira, 10. Além de apontar crime de responsabilidade em função do reajuste concedido aos procuradores do estado, o novo pedido cita a compra fraudulenta dos 200 respiradores pela Secretária de Saúde.

O mais novo pedido de impeachment contra Moisés é assinado por uma série de pessoas e entidades, entre os quais, Hélio Cesar Bairros, presidente do Sinduscon, e os advogados Bruno de Oliveira Carreirão, Beatriz Campos Kowalski, Leonardo Borchardt, Dulciane Beckhauser Borchardt, Ivo Borchardt, Gabrielle Beckhauser Rodriguez, Adauto Beckhauser, Josué Ledra Leite e Filipe Henrique Brolese, além do professor Marcelo Batista de Souza.

O presidente da Associação das Empresas de Transporte Turístico, José Marciel Neis, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento, Nilton Silva Pacheco, o diretor do Aettusc, Carlos Alberto Vieira, o presidente da Associação dos Médicos e Psicólogos Peritos Examinadores de Trânsito do Estado de Santa Catarina, Fernando de Mello Vianna, e o desembargador aposentado Anselmo Cerello também subscrevem o documento.