Por: Ewaldo Willerding

Mais de R$ 100 milhões de investimentos privados que devem gerar cerca de 90 empregos diretos e indiretos foram habilitados pelo Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense (Prodec) do Governo do Estado. Os projetos que incluem ampliação, instalação e expansão de empresas foram avaliados pelo Comitê Técnico, coordenado pela Diretoria de Empreendedorismo e Competitividade da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE).

As duas empresas habilitadas prevêem projetos para cidades do Oeste de Santa Catarina. A Laticínios Bela Vista LTDA tem um investimento previsto de R$ 98.957.711 na cidade de Maravilha, o que deve gerar cerca de 20 empregos, diretos e indiretos. A planta proposta prevê a expansão e modernização da unidade produtiva, com ampliações das estações de tratamento de efluentes, áreas de utilidades de ar comprimido e refrigeração, automação dos armazéns.

O segundo projeto avaliado pelo Comitê Técnico do Prodec é de autoria da Qualitá Móveis Ltda, que estima um crescimento anual de 30% para os próximos 5 anos, focando no mercado de colchões e acessórios. A empresa fica em Anchieta e prevê um investimento de R$ 3.430.000, proporcionando a geração de 10 empregos diretos e 65 indiretos.

A diretora de Empreendedorismo e Competitividade, Aline Ghisi, explica que os requisitos para aderir ao programa estão embasados nos empreendimentos que geram empregos e renda à sociedade catarinense, que incrementam os níveis de tecnologia e competitividade da economia estadual. “O programa contempla também empreendimentos que contribuam para o desenvolvimento sustentável, para a diversificação econômica das atividades produtivas e que visam o crescimento das cidades e regiões onde estão inseridos ou para aqueles direcionados a obras de infraestrutura, especialmente rodovias, ferrovias, portos e aeroportos de Santa Catarina”, enfatiza.

Os percentuais, os prazos e os juros são estabelecidos por um Conselho Deliberativo, de acordo com análise elaborada por um Comitê Técnico e pelo Agente Financeiro com base em uma metodologia que considera os requisitos exigidos.

Pelo Estado