Por: Coluna Pelo Estado

Em audiência da comissão externa que analisa propostas de ações preventivas ao coronavírus no Brasil, liderada pela deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania), ficou definido que a compra de insumos para intubação de pacientes da covid-19 será realizada pelo governo federal. O impasse sobre a vinda dos medicamentos do Uruguai perdurava desde 8 de junho, quando a Secretaria de Saúde do Estado encaminhou ofício alertando a necessidade da compra.

A falta de medicamentos para intubação de pacientes fez o governo do Estado suspender as cirurgias eletivas em 23 de junho, após a falta de medicamentos em hospitais no Oeste e Vale do Itajaí.

O senador Esperidião Amin (PP) classificou a situação como “jogo de empurra-empurra” e cobrou uma data para entrega dos medicamentos. Diante de uma indefinição sobre a chegada dos medicamentos e da dificuldade do governo catarinense para realizar a compra, o senador sugeriu que fosse feita pelo governo federal. Ele citou como exemplo a situação da compras de respiradores pelos governos estaduais que chegou a diversas CPIs. “O governo federal tem que ter a logística que não teve com os respiradores. A compra é internacional”, disse.

Na mesma reunião, foi anunciado que até a quarta-feira, 15, o governo federal entrega 240 monitores para equipar leitos de UTI. Os equipamentos devem permitir a ativação de novos leitos para o enfrentamento da covid-19 e se somam aos respiradores comprados pelo governo catarinense.