Por: Coluna Pelo Estado

Os salários, auxílios, benefícios e aposentadorias pagos aos membros do Judiciário brasileiro representam 90% dos R$ 100 bilhões em despesas geradas pelo poder em 2019. O gasto da Justiça no Brasil representou R$ 479,16 por habitante. No período, as decisões judiciais garantiram uma arrecadação de R$ 76,4 bilhões ao Poder Executivo.

As informações estão no relatório Justiça em Números, lançado nesta terça-feira, 25, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O documento faz o detalhamento da estrutura e litigiosidade do Poder Judiciário em 2019 e indicadores e análises que subsidiam a gestão Judiciária brasileira.

Em 2019, os tribunais brasileiros, tinham 77,1 milhões de processos em tramitação, cerca de 1,5 milhão de processos a menos que em 2018, a maior redução de casos, segundo o CNJ, desde que o órgão passou a serializar as informações. Só no ano passado, foram mais de 30 milhões de novos processos e 20 milhões de recursos em ações que tramitam.

O Justiça em Números também aponta a produtividade média dos magistrados, que subiu 13% em relação a 2018, o maior índice em 11 anos. O volume de processos digitais também cresceu e já representa 90% das ações na Justiça brasileira.

O relatório completo pode ser acessado aqui

Fábio Bispo