Por: Coluna Pelo Estado

As equipes de fiscalização da usina hidrelétrica Foz do Chapecó continuam o monitoramento e cuidados com a Área de Preservação Permanente (APP) do reservatório. Os trabalhos são feitos por terra, por água e até pelo ar, com a ajuda de drone, seguindo todas orientações de prevenção ao Coronavírus.

Entre os principais itens fiscalizados pela equipe está a condição das cercas que separam a APP do reservatório das propriedades dos vizinhos, a presença de gado sobre essa área e corte de vegetação. “Se for verificada qualquer uma dessas infrações pela primeira vez na propriedade, a equipe conversa com o lindeiro e orienta; registra a ocorrência, efetua notificação extrajudicial e, caso não cesse a interferência na APP é feita uma notícia crime, encaminhado para a multa e reintegração de posse. Seguimos o procedimento determinado na lei”, explica o diretor da Foz do Chapecó, Otávio Luiz Rennó Grilo.

Toda a área em torno do reservatório da usina é considerada APP e pertence a empresa que faz a gestão da usina. A largura da área de preservação permanente da usina hidrelétrica Foz do Chapecó é variável e seu limite pode estar entre 30 e mais de um quilômetro de distância da margem do lago. Desde o ano passado, quando o Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno do Reservatório Artificial (Pacuera) foi aprovado, há regras claras de proteção e uso da APP e do reservatório. O documento está à disposição no site da Foz do Chapecó e nas Secretarias de Agricultura dos municípios.

Denúncias

Os proprietários vizinhos do reservatório também devem ajudar a cuidar da APP. Lindeiros da área que apresentar qualquer dano ambiental pode ser responsabilizado pela infração. Para fazer denúncias, os vizinhos podem utilizar o Fale Conosco no site da empresa (www.fozdochapeco.com.br) ou pelo whats app para a Comunicação da Foz do Chapecó no número (48) 99126.1355.