Por: Coluna Pelo Estado

A menos de um ano do centenário, que completará em abril de 2021, o Figueirense vive momento difícil na sua história no futebol. Quase rebaixado para a Série C em 2019, o time oscila no início do campeonato em 2020 e, depois da última derrota para o Paraná, na sexta-feira, o clima piorou. Descontentes com o time, um grupo de torcedores invadiu o treino do Figueira no final de semana e a invasão se transformou em cenas de violência e agressão aos jogadores e funcionários do clube.

Em nota, o conselho administrativo do clube do Estreito lamentou os fatos e disse que vai apurar quem foram os envolvidos direta e indiretamente nos episódios de violência do final de semana.

“informamos aos seus verdadeiros torcedores e a sociedade em geral, que a pedido das autoridades policiais, disponibilizamos todas as imagens captadas durante o deplorável e triste episódio, que possam ajudar na identificação dos responsáveis”. manifestou-se .

O conselho também lamentou o fato de que o episódio tenha ocorrido neste momento de retomada do crescimento e da reestruturação do clube. No entanto, a diretoria considera que ação foi praticada por terceiros e o verdadeiro torcedor do Figueira não tem relação com a invasão no campo e agressão aos atletas e profissionais.

“Tais atitudes, que causam incontáveis prejuízos das mais variadas naturezas, e depõe contra a relação havida entre o clube e seu verdadeiro torcedor, não serão toleradas, sob nenhuma hipótese. O Figueirense reafirma seu compromisso com atletas, comissão técnica e colaboradores, de levar a apuração dos fatos até as últimas consequências, envolvendo todas as autoridades policiais e judiciais competentes”, diz a nota.