Por: Andréa Leonora

O presidente da Federação das Indústrias (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, anunciou agora há pouco, em visita à sede da Associação de Diários do Interior (ADI-SC),  que no próximo dia 17 será instalado o Conselho de Infraestrutura. Capitaneado pela Federação, a nova instância terá a participação do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-SC), do Sindicato dos Engenheiros, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), Polícia Rodoviária Estadual e Federal (PRE e PRF), entre outras organizações.

Aguiar explicou que não será a Fiesc, mas a sociedade organizada lutando por melhorias efetivas nas rodovias que cortam o território catarinense. “Será um benefício para o setor produtivo, mas também poupará vidas e reduzirá os gastos do Estado com internações hospitalares de vítimas de acidentes.”

O primeiro passo será identificar as demandas em um profundo diagnóstico da malha rodoviária. Depois serão apontadas as soluções, com quantificações como custos e prazos. Só então será definida a ordem das prioridades. De acordo com o líder industrial, isso evitará que o governo do Estado sofra pressões políticas para cumprir primeiro este ou aquele projeto, uma vez que a palavra do Conselho da Infraestrutura terá mais peso por conta dos dados coletados.

Visita institucional

 

Aguiar esteve em visita à ADI-SC – entidade que reúne perto de 40 veículos, entre impressos e digitais -, acompanhado do diretor regional do SESI-SC, Fabrizio Machado Pereira, e do gerente de Comunicação Institucional e Relações Públicas da Fiesc, jornalista Elmar Meurer. O grupo foi recebido pelo presidente da ADI-SC, Ámer Felix Ribeiro, e pelo vice-presidente Adriano Kalil.

Em conversa informal, Aguiar falou da dinâmica da economia e especialmente da comunicação, seja interpessoal ou de massa. E acrescentou que a comunicação com o público da Fiesc e suas casas (SESI, Senai, IEL e Ciesc) é fundamental. “A CNI está com um grande projeto para se comunicar melhor com o mercado e eu disse lá que nós não podemos esquecer a relação com os veículos da mídia regional, que é extremamente importante”, contou, referindo-se à Confederação Nacional da Indústria.

Segundo o presidente da Fiesc, a impossibilidade de uma comunicação direta com os vários públicos da entidade dificultaria sobremaneira o trabalho. O SESI-SC, por exemplo, está presente em 220 municípios catarinenses, enquanto o Senai-SC tem 80 unidades espalhadas pelo estado. “O trabalho que realizam junto às comunidades exige uma comunicação local e eficiente”, afirmou ao completar: “Também estamos trabalhando para melhorar ainda mais a relação com os nossos mantenedores, que são os industriais. A Fiesc já é reconhecida pelo trabalho que faz, mas precisamos ampliar isso”.

Ele acompanhou uma apresentação da ADI-SC, seus números e presença estadual, agora ampliada por conta do SCPortais, espaço digital agregador de vários portais de notícias de Santa Catarina. Também ouviu de Ribeiro e Kalil os planos para o período pós-eleitoral e 2019.

Marketing e Comunicação

Na mudança que Aguiar promoveu logo depois de sua posse, realizada no começo do mês de agosto, Fabrizio Machado Pereira passou a acumular o comando do SESI-SC e o Marketing da Federação. Durante o encontro na ADI-SC, Pereira explicou que o desafio é mostrar à sociedade e ao mercado todo o potencial da organização, as capacidades, as competências e as estruturas. Isso com base em uma agenda que privilegia a Inovação e a Tecnologia, uma vez que, garantiu, o Senai é hoje a principal matriz de oferta de pesquisa e desenvolvimento para a indústria. Outra agenda importante do novo momento da Fiesc e suas casas é a da Saúde e Segurança do Trabalhador.

Para o jornalista Elmar Meurer, agora gerente de Comunicação Institucional e Relações Públicas da Fiesc, o objetivo é mostrar a importância da indústria nos grandes temas do estado, sem que haja um interesse corporativista direto. “São bandeiras comuns a toda sociedade catarinense e o resultado do trabalho feito pela Fiesc na defesa dessas bandeiras interessa a todos”, resumiu, dando como exemplo a própria criação do Conselho de Infraestrutura, iniciativa da Federação.

Texto e fotos: Andréa Leonora

CNR-SC/SCPortais/ADI-SC/Central de Diários