Por: Coluna Pelo Estado

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) aprovou um pedido de informações para a Celesc, que pretende retomar o corte de energia para pessoas e empresas inadimplentes durante a pandemia. A decisão foi tomada pelo Plenário na sessão da manhã desta quinta-feira (20), após ação do deputado Jair Miotto (PSC).

“Nós aprovamos aqui um projeto que proibia o corte de energia durante a pandemia e estipulava o parcelamento sem multa em até 12 vezes. Mas o que tem ocorrido é uma disputa do governo do estado e da Celesc, voltando a fazer esses cortes. Me preocupa, em tempo de pandemia, o caso das pessoas com problemas financeiros, que foram demitidas, que podem ter cortada a energia elétrica”, justificou o autor do pedido.

Miotto disse que não é a favor da inadimplência, mas que é preciso avaliar cada caso. “Não podemos inviabilizar empresas e pessoas que foram demitidas ou tiveram seu trabalho e salário reduzido”, complementou.

Paulinha levará o pedido informações a Celesc

Líder do governo na Alesc, a deputada Paulinha (PDT) informou que vai fazer contato com a Celesc para levar a preocupação do Parlamento sobre o impasse.

“Pedirei uma resposta o mais breve possível e vou corroborar o pedido de atenção aos catarinenses que ainda enfrentam dificuldades [causadas pela pandemia].”

O deputado Marcius Machado (PL) criticou o fato de a Celesc ter buscado junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorização para elevar a tarifa de energia elétrica no estado.

“Um desrespeito com a comunidade, tanto que o projeto meritório, que não deveria cortar a luz até dia 31 de dezembro, eles ingressaram na Justiça e ganharam.”

Segundo ele, a situação é ainda mais grave, pois a empresa garantiu um aumento de 8,14% na tarifa no trimestre que obteve lucro de R$ 144 milhões.

Com informações da Agência/AL.