Por: Coluna Pelo Estado

O advogado do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), Marcelo Fey Probst, enviou nota a imprensa com posicionamento da defesa de Moisés sobre o parecer final da comissão especial do impeachment, apresentado e aprovado nesta terça-feira, 15. Probst diz que o relatório viola as Constituições Federal e Estadual, “pois desvirtua os fatos narrados na denúncia, menospreza as decisões do Ministério Público Estadual e desrespeita o voto do povo catarinense, atentando contra a democracia”.

A defesa de Moisés considera esta uma mancha na “bela e honrada história da Alesc”. Por fim, a defesa usa o tom positivo, acenando para o Plenário da Alesc.

“Por certo o Plenário da Alesc, através das senhoras e dos senhores Deputados Estaduais, restabelecerá a ordem político-jurídica e arquivará esse malfadado processo de impeachment”, diz a nota.

De acordo com o rito do impeachment, a próxima etapa será cumprida em Plenário. Caso seja aprovado por 27 dois 40 deputados, a denúncia será admitida e encaminhada para julgamento, por parte da comissão julgadora formada por deputados e desembargadores.

O pedido de impeachment, inicialmente, pedia o afastamento do governador de Santa Cantarina, da vice-governadora e também do secretário de Administração, Jorge Tasca. O secretário, no entanto, pediu exoneração e foi excluído do pedido de impeachment, que se restringe, agora, ao governador e a vice.