Por: Andréa Leonora

A Coluna Pelo Estado ouviu o defensor público Ralf Guimarães Zimmer Junior, advogado que ganhou notoriedade, esta semana, após protocolar na Assembleia Legislativa o pedido de impeachment do governador Carlos Moisés da Silva, da vice-governadora Daniela Reinehr e do secretário da Administração, Jorge Eduardo Tasca. O advogado contesta a decisão administrativa que aumentou o salário dos procuradores do Estado a partir de outubro de 2019. A medida teve como objetivo equiparar os valores com o salário dos procuradores da Alesc, que é, em média, de R$ 35 mil mensais. Nota divulgada pelo governo justifica que o pagamento aos procuradores decorre do cumprimento de decisão judicial transitada em julgado e, portanto, impassível de modificação e que esta assegura a paridade remuneratória, nos termos do art. 196 da Constituição de Santa Catarina. Zimmer afirmou que, de fato, o governo usou de ação transitada em julgado, mas omitiu dolosamente que a jurisprudência do TJ e do STF mudaram em casos de pedidos iguais, que tiveram pleitos mais recentes negados. “Em suma, o dolo, o engodo, a fraude, está no que omitiram até então. O que trouxeram a público é um remendo de factoides para tentarem ludibriar o Parlamento e o povo catarinense no afã de se locupletarem”, ressaltou o defensor. Leia a entrevista na íntegra no www.scportais.com.br

 

Daniela e Bolsonaro

A governadora em exercício, Daniela Reinehr, encontrou-se nesta quinta-feira (16) com o presidente da República, Jair Bolsonaro. Ela agradeceu o empenho do governo Federal em atender as demandas catarinenses e reforçou a necessidade de investimentos em infraestrutura. “Falamos muito sobre o que precisamos, as virtudes e capacidades do nosso estado e o carinho que o nosso povo tem em relação ao presidente”, destacou. A agenda seguiu em Brasília durante todo o dia com audiências em ministérios em busca de investimentos. “Como vice-governadora, busquei melhorias para o nosso estado e agora, como governadora, temos entregas a serem feitas”, disse. Também participaram da reunião o secretário de Governo da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos e a secretária especial de Assuntos Federativos, Deborah Arôxa.

 

“Militares no INSS? Não tem cabimento. Os funcionários do INSS sabem dar as ideias para a solução. Tem que valorizar a instituição e as soluções irão aparecer. Colocar militares para qq coisa é simplismo, falta de capacidade administrativa.”

General Santos Cruz criticando, no Twitter, a decisão do governo de recrutar 7 mil militares da reserva para compor os quadros do INSS e diminuir a fila de espera por benefícios.

 

Não Coma Está proibido retirar e comercializar ostras, mexilhões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia, nas localidades de Barra do Aririú, em Palhoça e da Ponta de Baixo, em São José. A Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural interditou o cultivo destes moluscos devido à presença de Escherichia coli (coliformes fecais) acima dos limites permitidos.

Vagas Há mais de duas mil vagas de emprego sendo ofertadas pelo Sistema Nacional de Emprego em Santa Catarina (Sine-SC). São postos de trabalho disponíveis em 56 cidades catarinenses e que englobam as mais variadas funções, com pré-requisito desde nível fundamental a superior. São Miguel do Oeste tem 462 vagas e 250 são para o cargo de auxiliar de linha de produção no ramo de alimentos, aquecido por conta das exportações de suínos.

Novos equipamentos O Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, de Joinville, recebeu três novos equipamentos de anestesia com monitores multiparâmetros. O investimento foi de R$ 880 mil do governo estadual. Os aparelhos trazem mais segurança em procedimentos cirúrgicos de alta complexidade, pois possuem vaporizador de agentes anestésicos eletrônico, o que possibilita reduzir o consumo do medicamento.

Decisão inusitada O juiz Frederico Andrade Siegel, da 2ª Vara Criminal da comarca de Blumenau, determinou que filho saia da casa da mãe e se trate contra o alcoolismo. Ele chegou em casa bêbado, ameaçou a mãe de morte, xingou-a e quebrou o guarda-roupa e uma janela. A Polícia Militar foi acionada, ele tentou fugir, mas foi preso em flagrante. O agressor está proibido de se aproximar da mãe. Além disso, terá que participar de um programa para dependentes de álcool por, pelo menos, seis meses.