Por: Ewaldo Willerding

O GNV (Gás Natural Veicular) manteve sua competitividade frente aos combustíveis líquidos no mês de fevereiro em Santa Catarina. A economia para quem usa o GNV é cerca de 41% quando comparado à gasolina e de 50% em relação ao etanol. O valor médio da venda do GNV no Estado em fevereiro foi de R$ 3,513. A gasolina, por outro lado, teve uma média de R$ 4,830 e o Etanol, de R$ 3,956. Os dados são de levantamento da ANP (Associação Nacional do Petróleo).

Além da economia, outra vantagem para os usuários de GNV é a tarifa regulada. Em 2021, a gasolina já sofreu seis aumentos, o diesel, cinco e o etanol acaba sendo indexado por esses índices de variação. No acumulado do ano, os combustíveis líquidos acumulam alta de 54% e 46,1%, respectivamente.

A variação de preço do GNV acontece ordinariamente apenas duas vezes no ano: em janeiro e julho considerando as tarifas praticadas pela distribuidora aos postos. Em 2020, por exemplo, a tarifa do produto teve alta acumulada de apenas 5,36% em Santa Catarina.

A economia e competitividade do GNV frente aos combustíveis líquidos no Estado leva a sucessivos aumentos no consumo, mesmo em meio à crise provocada pela pandemia. Após queda no consumo no início da crise em março do ano passado, as vendas registraram crescimento de 26% no volume vendido desde abril de 2020. Em fevereiro de 2021, a SCGÁS informa que comercializou mais de 330 mil metros cúbicos por dia de GNV, volume cerca de 5% superior ao registrado no mês anterior. 

Atualmente, Santa Catarina tem 138 postos de GNV e quase 110 mil veículos adaptados para uso do insumo, conforme dados do Denatran de dezembro de 2020. Somente no ano passado, a frota de GNV em Santa Catarina teve um aumento de mais de 3 mil usuários.

Reflexo na autonomia do carro

Além da competitividade, os usuários de GNV conseguem rodar mais quilômetros por litro. Segundo cálculos realizados pela gerência comercial da SCGÁS, abastecendo R$ 50,00, o veículo com GNV roda 187 km, enquanto com gasolina roda 102 km e com etanol, 81 km.

Os valores foram definidos utilizando a média de rendimento estabelecida no manual do único veículo que sai de fábrica com o kit GNV, o modelo Siena tetrafuel, da montadora Fiat. Nesse caso, a média de rendimento definido pelo fabricante do veículo é de 10,7 km/l para a gasolina, 7,5 km/l para o etanol e 13,2 km/m3 para o GNV.

Usuários que rodam, em média, 4.000 quilômetros por mês têm uma economia mensal com GNV de quase R$ 900,00. Nesse cenário, o retorno do investimento com a instalação do kit de GNV acontece em menos de cinco meses.

Pelo Estado