Por: Coluna Pelo Estado

A CPI dos Respiradores está focada em reuniões internas nesta semana. Além de não colher novos depoimentos, a CPI também não está fazendo a transmissão ao vivo dos encontros no canal do Youtube da Alesc. O objetivo dos deputados é dar sequência à análise da documentação recebida pela comissão a respeito da compra dos 200 respiradores artificiais pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Na semana que vem, entretanto, a expectativa é ouvir a ex-servidora Marcia Pauli, pela terceira vez, e o empresário Fabio Guasti – ele declinou do primeiro convite, pois estava preso preventivamente.

O histórico da CPI dos respiradores

Constituída em 5 de maio e com a primeira reunião no dia 12, a CPI dos respiradores também ganhou mais tempo com a extensão do prazo das eleições municipais de 22. Isso porque os deputados não queriam que os trabalhos na CPI fossem realizados em paralelo às eleições mas com o adiamento de 40 dias na data da eleição, os deputados têm até a primeira semana de setembro para apresentar o relatório final e concluir seus trabalhos. Cabe ressaltar, entretanto, que o prazo pode ser prorrogado por mais 120 dias.

A comissão também aguarda as respostas do governador Carlos Moisés da Silva (PSL). As 15 perguntas sobre a compra dos respiradores foram enviadas no dia 8 e o prazo termina na próxima sexta-feira, 17, ou seja, o governador tem mais um dia para responder.