Por: Coluna Pelo Estado

A curva de contágio de covid-19 da Grande Florianópolis continua acelerando e ganhou ainda mais intensidades nas últimas semanas de outubro e na primeira semana de novembro. De acordo com último boletim do Necat/UFSC, a região continua apresentando a maior taxa de crescimento, com 10,5%. Os dados são referentes à semana de 29 de outubro a 5 e novembro.

No Sul e no Vale do Itajaí, a taxa de crescimento de casos foi de 5% e 5,5%, o que pode indicar uma provável reaceleração do contágio nestas localidades, mas em um ritmo menor que o verificado na Grande Florianópolis. Já nas regiões Oeste, Norte e Serrana, no entanto, as taxas de crescimento ficaram entre 3% e 4%.

Número de casos diários voltou a crescer 

O cenário existente na microrregião de Florianópolis vem mudando desde o final do mês de setembro. A taxa de crescimento passou de 7% na primeira semana de outubro para 8,5% na segunda semana, 12% na terceira semana e, finalmente, 14% na última semana de outubro, sempre apresentando a maior taxa dentre todas as 20 microrregiões do estado – segundo a divisão geográfica do IBGE. Já na primeira semana de novembro essa taxa ficou ao redor de 11%, quando em todas as demais microrregiões a taxa de crescimento dos casos não ultrapassou a 5%.

De alguma forma, os dados dessa região provocaram impactos sobre alguns indicadores, destacando-se o caso da média semana móvel de Santa Catarina, que vinha se reduzindo até o final de setembro quando atingiu o valor de 935 casos diários. A partir do início de outubro esse indicador voltou a crescer, atingindo o patamar de 1.068 casos diários na primeira semana de outubro e 1.921 casos diários na última semana do mesmo mês.

“Isso indicou uma forte tendência de aumento dos casos, fato que obviamente foi afetado pelos aumentos expressivos apresentados pela microrregião de Florianópolis. Finalmente, na primeira semana de novembro o estado atingiu a média de 2.022 novos casos diários”, aponta o relatório.

Casos ativos crescem também em Blumenau e Balneário Camboriú

Na primeira semana de novembro houve também um crescimento expressivo do número de casos ativos para além do epicentro representado pelas quatro cidades conurbadas da capital catarinense (Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu). O município de Blumenau apresentou um crescimento de 49%  dos casos ativos na última semana, e o município de Balneário Camboriú teve aumentou de 21%. Isso indica que o processo de expansão do contágio também está em aceleração nas microrregiões de Itajaí e de Blumenau.