Por: SC Portais

O Sebrae-SC apresenta hoje à tarde os principais resultados atingidos pelas empresas participantes do Projeto de Encadeamento Produtivo, desenvolvido desde janeiro de 2017. Será um balanço de tudo que foi realizado para a capacitação de 75 oficinas têxteis de Santa Catarina. Os pequenos negócios foram divididos em três núcleos de produção – malha, jeans e tecido plano. Entre os temas trabalhados estavam gestão financeira, gestão de pessoas e melhoria do processo produtivo. O objetivo: alcançar o status de excelência na cadeia de fornecimento por meio do fortalecimento da competitividade das micro e pequenas empresas, contribuindo para que esses negócios construam relacionamentos cooperativos de longo prazo com grandes companhias do setor e de forma mutuamente atraente.

De acordo com o diretor técnico do Sebrae/SC, Anacleto Ângelo Ortigara, o grande valor do Projeto de Encadeamento Produtivo é beneficiar toda a cadeia. “Com o encadeamento produtivo todos ganham. A pequena empresa se beneficia com a otimização de seus serviços e o aumento da produtividade, enquanto a grande empresa passa a ter acesso a uma rede de fornecimento qualificada, com uma gama de bens e serviços eficientes, além da flexibilidade na negociação, agilidade no atendimento e rápida adequação a novas demandas”, comenta Anacleto.

Na edição que está sendo concluída hoje, a parceria do Sebrae-SC foi com a Lojas Renner, maior varejista de moda do Brasil, que precisava obter de seus fornecedores maior produtividade, menor tempo de produção, mais qualidade e compromisso ambiental e social. Segundo o diretor de Supply Chain da Lojas Renner, Pedro Pereira, iniciativas como esta inspiram a construção de uma cadeia de fornecimento cada vez mais consciente, integrada, competitiva e preparada para atender às necessidades dos clientes. “Com os resultados que colhemos até o momento, temos a certeza de que estamos no caminho certo. Queremos que o trabalho iniciado em 2017 se perpetue e se renove a cada ciclo”, afirma.

Tucanos decididos

Foto: Divulgação PSDB-SC

Em clima de convenção, perto de 150 tucanos participaram de uma reunião realizada ontem à tarde em Florianópolis. O objetivo do encontro foi confirmar o nome do senador Paulo Bauer como único pré-candidato do PSDB-SC ao governo do Estado. Em coletiva à imprensa, o presidente do partido, deputado Marcos Vieira, e o próprio Bauer afirmaram que não há qualquer possibilidade de recuo da decisão. Destacaram o apoio declarado pelo candidato da sigla à presidência da República, o ex-deputado de São Paulo Geraldo Alckmin, que, em vídeo declarou total apoio a Bauer, e anunciaram o começo de uma jornada que passará por todas as regiões para conversas com os filiados e as lideranças do PSDB no estado. O agora único pré-candidato tucano ao Executivo estadual anunciou que vai participar de conversas mais firmes sobre alianças. Entretanto, destacou que o partido não quer coligação apenas para ganhar a eleição. O objetivo maior é trazer algo de positivo para Santa Catarina. Se para isso for necessário sair com chapa pura, ou seja, apenas filiados ao PSDB-SC nas posições majoritárias, assim será feito. As conversas podem acontecer com praticamente todos os partidos. Apenas um ficará de fora, segundo Bauer: O PT. Nenhuma surpresa, já que os dois partidos são visceralmente opostos.

Crescimento O baixo índice de Alckmin nas pesquisas para presidência é algo que logo será revertido, de acordo com o senador Paulo Bauer, que prevê um percentual pelo menos três vezes maior até o final de julho. Isso porque somente agora, que se desligou do governo de São Paulo, Alckmin vai efetivamente percorrer o país, conversando com as lideranças de seu partido e de siglas próximas com fins eleitorais.

Único Para Bauer, o único nome que hoje reúne condições para pôr um fim na polaridade que vem dividindo o país pelo menos desde as eleições de 2014 é Alckmin. “O país precisa ser pacificado politicamente”, apontou.

Processo “Esta será a última vez que vou falar sobre esse assunto. Daqui para frente, só meus advogados tratarão disso.” A declaração de Paulo Bauer foi para a pergunta feita sobre o que pensa da acusação de seu envolvimento em suposto recebimento de R$ 11,5 milhões, cuja investigação foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Afirmando estar tranquilo e ter a consciência limpa, Bauer disse que não tem qualquer receio sobre o desfecho do caso. “Diferente do PT, somos solidários com a Justiça, não fazemos críticas, não colocamos obstáculos.”

O embargo definitivo da União Europeia a 20 agroindústrias brasileiras, das quais três estão no estado, vai frustrar todas as expectativas do setor, que eram positivas para 2018. Diante da decisão, foi criada uma Comissão Externa destinada a acompanhar a implementação do embargo e a avaliar os efeitos da medida na cadeia produtiva do frango – economia, produtores, integrados, trabalhadores da BRF, principal foco da medida. A comissão tem como relator o catarinense Celso Maldaner (MDB). Os deputados membros vão visitar as unidades. Para se ter uma ideia, em Santa Catarina a avicultura tem o maior Valor Bruto da Produção Agropecuária catarinense, atingindo um faturamento de R$ 6,2 bilhões no ano passado.