Por: SC Portais

Um investimento de aproximadamente R$ 100 milhões está consolidando Chapecó como um dos maiores centros de saúde do Sul do Brasil. A cidade, que já tem uma das melhores estruturas clínicas e hospitalares do estado, está ampliando a capacidade – e a qualidade – do atendimento prestado a pacientes de todo Oeste catarinense, Sudoeste do Paraná e Noroeste gaúcho.

Por trás disso está o Banco de Desenvolvimento da Região Sul, o BRDE, que financiou metade do valor do projeto. A expectativa é que a nova estrutura promova a melhoria da qualidade de vida da região, especialmente no que tange à saúde. Segundo o diretor-presidente do banco, Marcelo Haendchen Dutra, o investimento “qualifica o atendimento de saúde em um raio de 300 quilômetros”, o que agiliza e humaniza tratamentos.  Dutra, que acompanhou o andamento da obra, reforça que “o apoio a projetos como este cumpre a missão do BRDE e está alinhado com a diretriz do governo Carlos Moisés, que é melhorar a qualidade de vida dos catarinenses”.

O novo Hospital da Unimed, inaugurado nesta sexta-feira (18), foi construído com um conceito mais humanizado e sustentável, com recursos de acessibilidade e tecnologia de ponta. Os seis andares do prédio abrigam uma moderna estrutura de diagnóstico por imagem, oncologia e fisioterapia, além de pronto atendimento e 55 novos leitos de enfermaria e internação. A ativação dos serviços vai ser feita de forma gradativa, complementando os serviços prestados pela cooperativa médica no antigo hospital, que fica no prédio ao lado.

 

Estrutura gigantesca

 

Se o investimento no novo Hospital da Unimed qualifica os serviços de saúde na região de Chapecó, outro empreendimento também financiado pelo BRDE, tem impacto econômico e social. Trata-se da ampliação do Frigorífico Aurora 1 (FACH 1), inaugurada na terça-feira (15), que tornou a unidade no maior frigorífico de carne suína do país. A unidade atende mais de 20 países, entre eles o exigente mercado norte-americano.

Dos R$ 268 milhões investidos na obra e em estruturas complementares, R$ 36,1 milhões foram viabilizados pelo BRDE. A obra de ampliação começou em julho de 2018 e vai permitir dobrar o abate e produção de produtos cárneos. “Nossa instituição tem como foco o desenvolvimento econômico e social, através da geração de renda. Só aqui contribuímos com a geração de 2.500 novos postos de trabalho”, destaca o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Neuto Fausto de Conto, que representou o BRDE no evento.

 

(Da Assessoria, com edição)