Por: SC Portais

Um dos setores produtivos mais importantes do Brasil, a construção civil ocupa, só em Santa Catarina, 4,3% dos trabalhadores do país. Atingido fortemente pelo período de recessão, agora vive perspectivas mais otimistas para 2018. De acordo com pesquisa da Federação das Indústrias (Fiesc), a projeção é de um crescimento de 3,3%. É sob esta perspectiva positiva que vai acontecer, de 16 a 18 de maio, em Florianópolis, o 90º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC). Promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em parceria com a Associação dos Sindicatos da Indústria da Construção Civil (ASICc-SC), o ENIC é o principal evento nacional do calendário do setor e deve reunir 1,5 mil participantes. O presidente da CBIC, José Carlos Martins, avalia que 2017 foi “o ano da virada” e que os dois anos anteriores foram os piores desde 2003. “Acreditamos num crescimento em torno de 10% para 2018”, projeta. Um dos palestrantes do ENIC será o presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Gilberto Abreu, que participará da Comissão da Indústria Imobiliária no debate sobre recursos para financiamento de imóveis. É que recentemente a Caixa Econômica Federal anunciou a redução da taxa de juros de 10,25% para 9% ao ano para imóveis de até R$ 800 mil. “É uma injeção de ânimo para os compradores que, sem dúvida, irá movimentar o setor de construção civil”, avalia o presidente da ASICc, Marco Aurélio Alberton, que também preside o 90º ENIC.

Visita histórica

Foto: Jeferson Baldo

Mereceu até placa na parede a visita do governador Eduardo Pinho Moreira à sede da Associação e Federação dos Hospitais de Santa Catarina e Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina. Foi a primeira vez que um governador esteve ali. E o que Pinho Moreira ouviu o deixou satisfeito. Altamiro Bittencourt, presidente da Associação de Hospitais, que representa mais de 180 instituições, foi enfático: “Nunca tivemos tantas reuniões de trabalho com a Secretaria da Saúde como estamos tendo agora. O secretário Acélio Casagrande tem uma competência incomparável”.

Boa vontade

Foto: Karina Ferreira Agência AL

O líder do governo na Assembleia, deputado Valdir Cobalchini (MDB), espera que na próxima semana seja superado o impasse em torno da Medida Provisória 220, apresentada pelo governo do Estado e que determina a redução de 17% para 12% da alíquota de ICMS para todos os setores. A medida, inicialmente comemorada pelas federações que representam a Indústria e o Comércio, a MP está sendo interpretada como prejudicial ao varejo de produtos têxteis. De acordo com Cobalchini, na próxima quarta-feira (2 de maio), haverá uma reunião do governador Eduardo Moreira com os líderes dos dois setores, Glauco José Côrte (Fiesc) e Bruno Breithaupt (Fecomércio). “O governo deu uma sinalização de boa vontade. Mas é preciso que se entenda que o Ministério Público e o Tribunal de Contas estão fazendo questionamentos e exigindo ajustes. Isso não pode ser ignorado.”

Lipoaspiração

Foto: Fábio Queiroz /Agência AL

O economista Paulo Rabello de Castro, ex-presidente do BNDES e do IBGE, pré-candidato a presidente pelo Partido Social Cristão (PSC), proferiu palestra na Assembleia Legislativa nesta sexta-feira (27) e defendeu uma nova constituição, além de um ICMS nacional, com a extinção de outros impostos como IPI e Cofins. “Propomos uma revisão constitucional já no dia 2 de janeiro de 2019. É uma grande Constituição, cumpriu uma grande tarefa, mas está cheia de puxadinhos. São mais de 90 emendas, então precisará de uma lipoaspiração radical, de uma vez só”, afirmou, referindo-se à Constituição de 1988.

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, veio a Santa Catarina nesta sexta-feira (27) para participar da cerimônia de entrega do Licenciamento Ambiental para a ampliação da faixa de areia de Balneário Camboriú e visita técnica às obras do novo terminal do Aeroporto Internacional de Florianópolis. Também encontrou um grupo de prefeitos, com os quais se comprometeu a abrir o sistema de convênios na próxima semana para cadastro dos projetos.

Reconhecimento A deputada estadual Ada De Luca (MDB) comemorou o primeiro lugar de Santa Catarina no Selo Resgata. Trinta e duas empresas se destacaram no trabalho de ressocialização dos apenados. Ada respondeu pela Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC) nos últimos sete anos, até se desincompatibilizar para voltar ao Legislativo estadual e concorrer à reeleição.

Na SJC, pautou seu trabalho na valorização dos servidores e na ressocialização dos apenados. Em 2011, quando assumiu a pasta, pouco mais de mil presos trabalhavam. No decorrer do caminho foram firmados 180 convênios com órgãos públicos e empresas. Hoje, de uma população carcerária de cerca de 20 mil pessoas, são 6.200 trabalham. Longe do ideal, mas, ainda assim, são números que destacam Santa Catarina no cenário nacional.