Por: SC Portais

A previsão da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc) é de produtividade elevada e de bons preços para as principais comodities produzidas em Santa Catarina, em 2020. “Se o clima não atrapalhar e não houver nenhuma surpresa no cenário internacional, a agricultura terá um ano de excelentes resultados, destaca o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri. O milho registra movimento de alta iniciado no segundo semestre do ano passado e foi comercializado esta semana a R$ 46,00 a saca. Nas principais regiões produtoras, como Xanxerê, Campo Erê, Abelardo Luz e Planalto Norte, a produtividade chega a atingir 250 sacas por hectare, o que representa 15 toneladas/ha e a certeza de excelentes ganhos. A valorização em relação a 2019 é superior a 35%. Santa Catarina, em razão de sua grande deficiência de milho, importará cerca de 4,5 milhões de toneladas. Os preços também são bons para a soja, que está cotada a R$ 80,00 e para o feijão, cuja saca custa R$ 160,00. “A agricultura catarinense vai gerar muita renda em 2020. Somente o milho injetará R$ 2,3 bilhões na economia, a soja mais R$ 3,2 bilhões e o feijão R$ 280 milhões. O dirigente diz que o avanço do coronavírus pode impactar alguns setores que têm a China como principal mercado, mas acredita que a doença não atrapalhará o agronegócio brasileiro que continuará a ampliar as vendas de alimentos para o gigante asiático.

 

 

Roesler na estrada

O presidente do Tribunal de Justiça (TJ-SC), desembargador Ricardo Roesler, iniciou, nesta quinta-feira (13), uma série de visitas às comarcas do Estado. O roteiro planejado para o biênio incluirá todas as regiões. O objetivo é verificar de perto as demandas e sugestões de servidores e magistrados, além de apresentar seu plano de trabalho neste início de gestão. A primeira cidade visitada é Joinville, onde atuou por vários anos e foi diretor de unidade judiciária. À tarde, ele será recebido em São Bento do Sul, sua cidade natal. Em seguida, desloca-se para Rio Negrinho e, no final da tarde, para Mafra, onde também terá reunião com os juízes. Na sexta-feira (14), estará em Jaraguá do Sul pela manhã e em Guaramirim, Araquari e São Francisco do Sul à tarde.

 

Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Vamos importar menos, fazer substituição de importações, turismo. [Era] todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para a Disneylândia, uma festa danada.”

Argumento polêmico do ministro Paulo Guedes sobre dólar ter chegado a R$ 4,35 na última quarta-feira (12)

 

Bem avaliada A Celesc venceu o Prêmio Aneel de Qualidade 2019, na categoria Nacional, entre as empresas que atendem mais de 400 mil unidades consumidoras. A companhia também foi a mais bem avaliada pelos consumidores residenciais na região Sul, que deram índice 77,10 de satisfação pelos serviços prestados, acima da média nacional para a categoria, que foi de 67,38.

Economia O governador Carlos Moisés da Silva postou um vídeo nas redes sociais nesta quinta-feira (13) informando que a venda do jato que era de uso exclusivo do governador resultou numa redação de gastos de transporte aéreo de R$ 4,5 milhões a 4,9 milhões para R$ 200 mil em 12 meses. “A venda da aeronave e o uso de voos comerciais para viagens de trabalho proporcionaram ao governo a redução de 95% das despesas com transporte aéreo”, frisou.

Pedágios A Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e parlamentares foram ao Tribunal de Contas da União (TCU), esta semana, para encaminhar pedido liminar de suspensão do edital da ANTT 02/2019 e a reavaliação dos critérios que definem a instalação de praças de pedágios no trecho Sul da BR 101, entre Paulo Lopes e São João do Sul.

Equívocos Laudo apresentado pela Fecam aponta uma série de irregularidades e equívocos. Dentre eles, a defasada contagem de veículos (realizada em 2015) e inconsistência na escolha do período do ano em que foi realizada a contagem. “São situações que encarecem o valor do pedágio em cada trecho e compromete o desenvolvimento econômico dos municípios da região”, disse o diretor executivo da entidade, Rui Braun. O edital prevê uma tarifa-máxima para veículos de passeio de R$ 5,19.

Parceria O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu o fortalecimento da agenda legislativa de interesse dos municípios no Parlamento. Citou a aprovação pelo Congresso de mudança das regras das emendas individuais para permitir a transferência direta de recursos para estados e municípios e da liberação da cessão onerosa. Maia ressaltou que a Câmara deve aprovar a PEC 231/19, que amplia em 1% os repasses da União mediante transferências constitucionais aos municípios, segundo a Agência Câmara Notícias.

 

Juliana Wilke