Por: SC Portais

Quinta deputada mais votada no pleito de 2018, Ana Paula da Silva, mais conhecida como Paulinha, ex-prefeita de Bombinhas, tem neste momento uma das missões mais difíceis e complexas dentro do Legislativo catarinense. Fiel militante do PDT, ela foi destacada para assumir a liderança do governo de Carlos Moisés (PSL) na Assembleia, possibilidade que a Coluna Pelo Estado publicou em novembro do ano passado. Segundo afirma, a missão será “melhorar a aproximação entre os poderes”. A decisão de assumir a função lhe rendeu uma briga interna na legenda, inclusive com ameaças de expulsão, mas Paulinha se diz tranquila e preparada para o desafio. “Eu sou uma pessoa que não consigo manter a passividade”, conta. A função, diante de um governo que tem enfrentado dificuldades em manter uma base sólida no parlamento, deverá atribular ainda mais a deputada, mas também poderá trazer ainda mais protagonismo ao seu primeiro mandato legislativo. “Eu não queria ser líder do governo. Já tenho bastante atribuições na Casa. Desde que assumi, não tive menos que 50 audiências. Meu exercício de trabalho é muito denso e de envolvimento”, afirma. A primeira prova de fogo da parlamentar já será a condução do diálogo em torno da reforma da Previdência que tramita na casa. Manter o regime de urgência e impedir que a matéria se arraste, trazendo desgastes ao Executivo, é o desafio. “Temos praticamente um mês inteiro pela frente, que será suficiente para debatermos com as categorias e deputados na construção da convicção individual de cada parlamentar sobre o seu voto”, afirmou à coluna. A deputada diz ainda que sua escolha para liderança não previu negociações de cargos, discurso que ela tem sustentado para se defender da resistência interna no PDT.

Milho para estiagem

 Divulgação/ SECOM
Desde 2006, o Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri (Epagri/Cepaf) lançou três milhos na variedade de polinização aberta: o SCS154 Fortuna, o SCS155 Catarina e o SCS156 Colorado, resultados de mais de uma década de cruzamentos feitos a campo pelos pesquisadores. O milho desenvolvido pela empresa do Estado já é uma alternativa para driblar a estiagem. Ou seja, é mais dinheiro no bolso do agricultor familiar que investiu na compra de sementes de milho VPA para esta safra.
“Eu já sofri muito preconceito pela minha condição de mulher.
Questões que dariam um livro. E eu não vou me comportar da mesma forma como fizeram comigo só por conveniência”

Deputada Paulinha (PDT), ao comentar sobre o embate interno que travou com o partido ao assumir a liderança do governo Moisés

Conflito O alinhamento de Paulinha com o governo de Moisés — que apesar de eleito na onda bolsonarista tem se distanciado cada vez mais dos fiéis escudeiros do presidente na Assembleia—, lança uma grande incógnita sobre os rumos do PDT em Santa Catarina. A militância brizolista considera inadmissível a aproximação, mas a deputada lembra que o partido nem sempre manteve a coerência ideológica que agora cobra: “O PDT apoiou Merísio em 2018, que por sua vez apoiou Bolsonaro”. Em Brasília, por exemplo, o partido apoiou Rodrigo Maia (DEM).

Paz e Amor Mas se por um lado a militância do PDT joga mais lenha na fogueira e acirra a  disputa com Paulinha, por outro a deputada ressalta que sempre cultivou posturas como o diálogo, respeito e o que chamou de “amizade cívica”. E lamenta que a intolerância esteja dominando alguns setores da política.

Vez delas Com a chegada da deputada suplente Carolina Martins (PSDB), que ocupará a cadeira por 60 dias no lugar de Vicente Caropreso (PSDB), a Assembleia tem, atualmente, a maior bancada feminina de sua história, com seis mulheres parlamentares. Vale lembrar que nosso Legislativo foi o primeiro do país a eleger uma mulher, a professora, escritora e jornalista Antonieta de Barros.

Gestão eficiente A eficiência da gestão do catarinense Vinicius Lummertz frente à Secretaria de Turismo de São Paulo foi agora reconhecida também no âmbito político. Lummertz teve votação unânime, concorrendo com outros dois candidatos, ao prêmio Competência Pública, criado pela União dos Vereadores do Estado de São Paulo (Uvesp). Os 641 municípios paulistas têm 6.913 vereadores, dos quais 120 estão no Conselho da Uvesp.

Alertas As chuvas foram motivo de 75% dos alertas emitidos por SMS através do sistema de alertas coordenado pelo Centro de Gerenciamento do Ministério do Desenvolvimento Regional. Os dados são do SindiTelebrasil. O sistema foi implantado em 2017, em parceria com a Defesa Civil dos estados, e Santa Catarina foi, em 2019, o terceiro estado que mais emitiu esse tipo de alerta. Foram 45,5 milhões de mensagens no estado, ficando atrás só de São Paulo (347 milhões de alertas) e Rio de Janeiro (78,7 milhões) de mensagens enviadas aos usuários.

Coordenação: Andréa Leonora (peloestado@gmail.com)
Conteúdo e redes sociais: Fábio Bispo e Eliane Ramos