Por: SC Portais

 
A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) está comemorando os resultados das investidas contra o crime organizado e o tráfico de drogas. No mês de julho, o montante apreendido de maconha superou em 6,5 toneladas a mais do que o mês de julho de 2017, o que representa cerca de 705% de incremento. Quanto à cocaína, o aumento foi de cerca de 62,52% no material recolhido. O crack  representou um  aumento na apreensão de mais de 4.000%, superando em cerca de 134 quilos o que foi retirado de circulação no mesmo período do ano passado. O LSD teve também um aumento na retenção por parte da PMSC – foram 2.081 micropontos a mais, significando 158%. Comparando os primeiros sete meses de 2017 com os de 2018, o incremento das apreensões de maconha foi de 158%. Isto é, cerca de 7,2 toneladas a mais. Com relação ao crack, o volume apreendido foi de cerca de 185 quilos. Isso renderia cerca de 950 mil pedras. O comandante-geral da PMSC, coronel Araújo Gomes, reforçou que a redução dos índices de criminalidade continua sendo a prioridade da instituição. “Nós estamos, junto com as demais polícias, desenvolvendo operações em todo o estado, o que tem resultado numa diminuição significativa, por exemplo, dos homicídios, quando a gente observa que a tendência nos dois últimos anos era de subida. Esse foco em resultados positivos é que tem feito toda a diferença no trabalho da PMSC”, completou. | Foto: Divulgação PMSC


Propósito esquecido


Para o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, as Estratégias Saúde da Família (ESFs), nos municípios, estão perdendo a essência de quando foram implantadas no país. Na reunião do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta terça-feira, 31, em Brasília, Casagrande lembrou que em 1994 foi a Cuba, na condição de secretário municipal, de Criciúma, para missão do Ministério da Saúde que teve como objetivo trazer para o Brasil o Programa Saúde da Família (PSF). Na época, o que mais chamou atenção foi o controle absoluto que a pequena equipe de Saúde cubana acompanhada por ele tinha sobre as 200 famílias que atendia. A procura pelo paciente em casa e o controle da situação daqueles que tinham doenças crônicas eram o forte dos primeiros PSFs brasileiros. Hoje, entretanto, preocupa a Secretaria de Estado da Saúde (SES) o fato de a população estar lotando os pronto socorros dos hospitais por doenças que deveriam ser controladas nas unidades básicas. | Foto: Douglas Saviato
 
Quarta intensa
Senador Dario Berger, secretário de Desenvolvimento Sustentável Adenilso Biasus e o deputado federal Mauro Mariani participaram da reunião semanal da bancada do MDB. Cenários das eleições nacional e estadual na ordem do dia. E a mobilização para a convenção estadual de sábado (4), na Assembleia, que deve homologar Mariani candidato ao governo. Ontem teve rodada de conversas e reuniões de Mariani também no Diretório estadual do MDB. Uma das conversas possíveis era com o ex-governador Paulo Afonso Vieira, que se apresentou para uma das vagas ao Senado. Por enquanto, os deputados federais Carmen Zanotto (PPS-SC) e Jorginho Mello (PR-SC) já aceitaram compor para vice e Senado, respectivamente. | Foto: Evory Schmitt
Falando nisso… O Partido da República realiza sua convenção partidária neste domingo (5) e deve homologar a candidatura de Jorginho Mello ao Senado Federal. O ato ocorre a partir das 9 horas, no auditório Antonieta de Barros, na Assembleia Legislativa, em Florianópolis. Além da candidatura de Mello ao Senado, o PR também deve lançar Jorge Goetten a deputado federal e cerca de 20 candidatos a deputado estadual.

Cobrança  Com a retomada dos trabalhos legislativos na Assembleia, voltam também as cobranças. Ontem o deputado Neodi Saretta (PT) voltou a pedir mais leitos de UTI neonatal, especialmente na região do Vale do Rio do Peixe. Ele apresentou dados para justificar sua insistência no tema. É que, pela Sociedade Brasileira de Pediatria, Santa Catarina precisa de mais 179 leitos de UTI neonatal para atingir o mínimo de quatro para cada mil nascidos vivos.

Exemplos de SC A Educação Especial foi um dos bons exemplos do ensino catarinense apresentados pelo secretário-adjunto Gildo Volpato (Educação) à ministra da Cultura e Educação da Província de Misiones, Ivonne Aquino, na tarde de ontem, no Instituto Estadual da Educação, em Florianópolis. “Muito importante estabelecermos vínculos para unir e fortalecer os sistemas educativos de cada uma das províncias”, destacou a ministra. A visita é fruto de uma parceria entre os dois estados para a realização de ações conjuntas voltadas à Educação.

Em tempo Governador Eduardo Pinho Moreira reassume o Estado hoje de manhã.