Por: SC Portais

Senadores de SC

A Coluna Pelo Estado apresentou as mesmas perguntas aos três senadores catarinenses:

1 Como avalia o ano de 2017?

2 Que ações
merecem destaque?

3 Qual a expectativa para as eleições de 2018?

4 Qual será sua posição/atuação no próximo pleito?

Você conhecerá as respostas nesta página.

 

Dalirio Beber – PSDB

“Somos privilegiados por uma economia bem distribuído nas 295 cidades.”

1 Bom seria, se pudéssemos anunciar que os 14 milhões de desempregados estavam empregados no final do ano, para começarem bem o 2018. Infelizmente, essa notícia ainda não podemos dar, ainda que o esforço que fazem o governo federal e o Congresso Nacional para colocar a economia em dia seja gigantesco. Muitas vezes nos defrontamos com matérias legislativas imperiosas e necessárias, mas que têm um impacto negativo em parte da sociedade, que ainda não compreendeu a gravidade da crise que afeta o Brasil. Estamos aprovando projetos e reformas para que o país volte a crescer. É imperioso aumentar a arrecadação dos municípios e estados, a fim de que possam atender às demandas da sociedade. O Brasil está melhorando. Saímos de uma taxa Selic de 14,25% para 7%.
A inflação, que estava acima de 10%, está em torno de 2%. São indicadores altamente positivos. Já temos uma sinalização concreta e real na recuperação de empregos neste final de 2017, o que nos permite descortinar um 2018 mais positivo.

2 Como representante de Santa Catarina no Senado, batalhei muito pela Infraestrutura, ainda nossa principal demanda. Somos privilegiados por uma economia bem distribuído nas 295 cidades. No entanto, nosso desenvolvimento está comprometido por falta de investimentos federais em
rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. Destaco a pressão permanente, junto ao governo federal, pela duplicação da BR-470. Queremos que o programa “Avançar Brasil” eleja esta rodovia como uma das prioridades nacionais. Também trabalhamos exaustivamente para avançar com as obras do nosso complexo portuário e aeroportuário, que compreendem os municípios de Itajaí e Navegantes. Na Educação, participei ativamente na nova regulação do FIES e trabalhei pela
preservação do modelo de interiorização do ensino superior mantido pela Acafe. Na Saúde, o SUS, um grande plano oferecido pelo governo, precisa da atenção das três esferas. Lamentavelmente,
uma omissão da União, praticada há muito anos, fez com que este ônus recaísse nas administrações municipais. Colocamos como prioridade emendas individuais e de bancada para a Saúde catarinense. O balanço é positivo, mas ainda precisamos devolver aos brasileiros a confiança, a
esperança e a alegria. Que possamos chegar ao fim de 2018 com a reforma da Previdência aprovada, e outras reformas importantes, criando as condições para que o país cresça e gere
os empregos. Este é o seu maior benefício social.

3 Espero que os brasileiros tenham serenidade para escolher quem realmente estiver disposto a trabalhar para o seu estado, para o nosso país, para a coletividade. E que os candidatos sejam honestos com os eleitores em relação à situação real do país e suas promessas. Que não sejamos vítimas de mais uma fraude eleitoral como a que sofremos em 2014, da qual ainda sofremos as drásticas consequências.

4 Vou fazer o mesmo papel que sempre desempenhei nestes meus 30 anos de PSDB: ajudar o meu partido a apresentar propostas e candidaturas verdadeiramente preparadas e qualificadas, tanto para o estado quanto para o país. Trabalho para que o nosso partido interaja com a sociedade e
tenha, de fato, uma proposta que seja sintonizada com aquilo que deseja a grande maioria da população brasileira.

Dário Berger – PMDB

“É preciso coragem para mudar. Fomos eleitos para fazer, para realizar, para mudar.”

1 Estamos chegando ao fim de mais um ano, em que o nosso país ainda vive dentro de um processo de mudança, de evolução, de firmar bases sólidas em favor de um futuro democrático, de desenvolvimento e de instituições mais fortalecidas. É preciso coragem para mudar. Fomos eleitos
para fazer, para realizar, para mudar. Ou mudamos, ou merecemos ser mudados.

2 Em 2017 coube a mim a condução da Comissão Mista do Orçamento e Fiscalização (CMO), considerada a comissão mais importante do Congresso Nacional, responsável por elaborar a Lei Orçamentária do país, que define, entre outras coisas, os valores e as áreas onde nos debruçamos nas principais demandas para o próximo ano. Buscamos realizar um trabalho consciente, que teria
que ser feito sem números fantasiosos e que justificassem a realidade produtiva e arrecadadora em todas as regiões brasileiras. Tenho certeza que construímos e aprovamos, pela primeira vez, um orçamento sob novo regime fiscal que impõe um limite ao crescimento do gasto público e respeitando os prazos previstos no calendário regimental. Ao mesmo tempo, o trabalho legislativo continuou com a apresentação de novos projetos, em diferentes áreas. Outros projetos já em tramitação foram aprovados e transformados em leis. Uma luta que travei desde a época em que fui prefeito de Florianópolis teve, finalmente, um desfecho. Com o apoio de lideranças políticas do estado, conseguimos a garantia do ICMbio para a liberação da construção do traçado alternativo do acesso ao Aeroporto Hercílio Luz. Uma obra estratégica e de vital importância para o desenvolvimento social e econômico de Santa Catarina, para o turismo catarinense e para a mobilidade urbana de Florianópolis.

3 Em 2018 o Brasil deve continuar no processo de reestruturação econômica, política e social. Ainda teremos um período a caminhar, mas certamente, conseguiremos já efetivar novos rumos, em favor da qualidade de vida de todos os brasileiros.

4 Não há como responder objetivamente hoje o que irá acontecer. O processo político é muito dinâmico. Mas continuarei, como sempre, com o meu trabalho em favor de Santa Catarina. Esse sempre foi um dos principais pilares do meu mandato. Atendemos todos os dias, centenas de prefeitos e vereadores que nos visitam em nosso Gabinete. Nossas portas sempre estão abertas, pois só assim, podemos escutar e buscar ajudar da melhor forma o nosso povo catarinense. O PMDB de Santa Catarina é um partido com 51 anos de existência, consolidado em todos os municípios do estado. Como venho dizendo, o meu candidato ao governo é o deputado federal Mauro Mariani e tenho certeza que é a melhor opção para o Santa Catarina. Estou à disposição do partido, dos meu companheiros, para estar na luta por um caminho melhor, de desenvolvimento, de austeridade e democracia.

Paulo Bauer – PSDB

“Ainda há muito a ser feito, mas estou confiante que esse cenário vai ser melhor.”

1 Foi um ano difícil para o país. A necessidade de recuperar os prejuízos deixados pelo desgoverno petista, que geraram desemprego e crise econômica, exigiu muito de todos os setores. Por outro lado, o trabalho da Polícia Federal e a Operação Lava-Jato resgataram esperanças de termos um
Brasil sem corrupção. Ainda há muito a ser feito, mas estou confiante que esse cenário vai ser ainda melhor.

2 O trabalho como líder da bancada do PSDB no Senado foi muito importante. Além de atuar diretamente em debates decisivos para as votações de projetos de interesse nacional, pude defender os interesses de Santa Catarina com mais força. Isso resultou no atendimento a 176 cidades com
as emendas. Indiquei R$ 15,3 milhões, dos quais R$ 12,5 milhões foram empenhados e R$ 3,2 milhões estão pagos pelo governo federal. Nas últimas semanas do ano, consegui indicar mais      R$ 10 milhões na Saúde, com R$ 1,1 milhão pagos, R$ 5,5 milhões empenhados e o resto a ser empenhado. Também garanti 29 ambulâncias e 44 gabinetes odontológicos.

3 Como presidente da Frente Parlamentar do Carvão Mineral, articulei a criação de uma política nacional para a manutenção sustentável da produção do minério, que beneficia mais de 30 mil catarinenses. Busquei a viabilização do patrocínio da Caixa Econômica para a Escola do Teatro Bolshoi de Joinville, um dos ícones da cultura do estado. Mantive posição firme cobrando do governo a autorização para novos cursos de Medicina em Santa Catarina, as duplicações das rodovias federais, a nomeação dos aprovados no concurso do Hospital Universitário da UFSC, recursos da Receita Federal para o contorno viário de Gaspar, agilidade do ICMBio para licenciamento da obra de acesso ao novo terminal de passageiros do aeroporto da Capital, providências e decisões que viabilizem a implantação da UFFS em campus avançado em Concórdia, além de ter levado o ministro da Saúde a Chapecó para que ele conhecesse a importância e a urgência de ampliação nos serviços do Hospital Regional do Oeste e o reconhecimento da unidade como Hospital de Ensino.

4 Será um ano eleitoral importante. O Brasil precisa voltar a crescer de modo equilibrado e, para isso, o meu partido trabalha com a candidatura de Geraldo Alckmin, um homem experiente, gestor do maior estado do país e que tem as características que o país precisa: seriedade, firmeza nas
decisões e dinamismo. No estado, o partido está unido na decisão de que chegou a vez do PSDB governar. Fomos fundamentais para as vitórias do PP, PMDB e DEM nos últimos pleitos. Assim, temos crédito com as demais siglas. Legitimamente, eles têm nomes para a disputa. Mas não abriremos mão da cabeça de chapa. Com a candidatura em 2014, quando fizemos 30% dos votos, e o trabalho de crescimento nas urnas em 2016, hoje temos diretórios em todos os municípios e bancadas atuantes na Assembleia, na Câmara dos Deputados e no Senado. Sou pré-candidato ao governo e estou à disposição do PSDB. Vou apresentar propostas que atendam aos anseios de Santa Catarina, com alternativas para a valorização da juventude, do agricultor e das micros e pequenas
empresas, a geração de emprego e renda além de ações firmes e obrigatórias na Segurança Pública, Saúde e Educação.