Por: SC Portais

Já na condição de pré-candidato à presidência da República pelo PSD, o diretor-presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, passou a sexta-feira (11) em Santa Catarina. Logo cedo, foi recebido pelo superintendente estadual do Sebrae-SC, Guilherme Zigelli, e conversou com jornalistas, já como parte da 10ª Semana do Microempreendedor Individual, de 14 a 19 de maio. “Santa Catarina é o exemplo prático de tudo o que eu prego. Um estado de pequenos e médios municípios, de pequenas e médias empresas, de pequenas e médias propriedades rurais. É onde existe a democracia econômica, sem a qual a democracia política não subsiste”, elogiou.

Ao falar do momento do país, disse que o brasileiro está com “profundo mau humor” por conta da insatisfação e da revolta com os maus exemplos que vêm de cima e criticou as diferenças gritantes do tratamento dado aos pequenos negócios em comparação ao dedicado às grandes corporações. Desde o Refis até o acesso a financiamentos, tudo é mais difícil, caro e burocrático para as pequenas empresas. Destacou que a população sabe que em meio a uma das mais profundas crises econômicas do país foi este segmento que manteve os empregos, percepção que pesará na balança dos votos.

Contundente, Afif apontou que não existe política de desenvolvimento econômico no país, apenas política fiscal. “Eles estão lá para arrancar o couro e alimentar esse leviatã que é o Estado brasileiro.” Para o diretor-presidente do Sebrae, o sistema financeiro brasileiro é o maior fator de concentração de renda do país. “Com agiotagem oficializada pelo Banco Central! Esta é a distorção de anos de política fiscal e de comando de economistas que ganharam dinheiro com dinheiro, e não com trabalho.”

Dia Mundial das Abelhas

O 22º Congresso Brasileiro de Apicultura e o 8º Congresso Brasileiro de Meliponicultura, maiores eventos do setor no país, acontecem na próxima semana em Santa Catarina, estado que se destaca tanto em volume de produção quanto na qualidade do mel que produz. A abertura será com o lançamento oficial do Dia Mundial das Abelhas no Brasil – 20 de maio –, conforme resolução aprovada pela ONU em dezembro de 2017 por iniciativa da Eslovênia, cujo embaixador no Brasil, Alain Brian Bergant, estará na solenidade. Trata-se de um alerta para todos os países, uma vez que 75% das plantas dependem das abelhas para polinização. Elas ainda previnem perdas de biodiversidade e a degradação de ecossistemas. A organização dos eventos é da Confederação Brasileira de Apicultura (CBA), da Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores (Faasc) e da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri). O presidente da Faasc, Nésio de Medeiros, estima um público de 2.500 pessoas. Serão 45 expositores, mais de 100 palestrantes de Santa Catarina, de outros estados brasileiros e ainda da Argentina, Uruguai, México, Chile, Colômbia e Grécia. Além da expo-feira, haverá apresentação de trabalhos científicos, concursos e venda de mel. Os congressos brasileiros de Apicultura e de Meliponicultura acontecem de quarta a sábado da próxima semana (16 a 19), em Joinville. | Foto: Epagri

 

Encontro político Depois da palestra realizada na sede do Sebrae-SC, em Florianópolis, Afif Domingos participou de um almoço com o presidente estadual do PSD-SC, deputado Gelson Merisio, pré-candidato ao governo do Estado, e outros correlegionários. Já no Aeroporto Hercílio Luz, pouco antes de embarcar de volta para São Paulo, Domingos disse à Coluna Pelo Estado que há “absoluta convergência” sobre não dar apoio à aliança com o PSDB, tendo Geraldo Alckmin como cabeça de chapa. “Vou disputar a convenção para ser o candidato do nosso partido.”

Frustrou Durante a conversa com a imprensa, Afif Domingos chegou a anunciar que conversaria com o ex-governador Raimundo Colombo, pré-candidato ao Senado. Mas o encontro não aconteceu, uma vez que Colombo estava em roteiro por Curitibanos e região.
Antes de retornar a São Paulo, o líder dos micro e pequenos empreendedores passou boas horas na Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). Saiu impressionado. “Aqui está o símbolo da inovação no Brasil. São essas startups que valem ouro para o país.”

Mais próximos As federação das Indústrias (Fiesc), das CDLs (FCDL) e das Associações Empresariais (Facisc) são algumas das entidades que reivindicam, agora, junto ao governo do Estado, novas soluções para a redução da alíquota de 17% para 12% nas operações entre contribuintes. Com o debate que antecedeu a derrubada da MP 220 na Assembleia, e que atendia a uma demanda de mais de 30 anos, o governo se aproximou ainda mais da cadeia produtiva e ganhou fortes aliados na busca por medidas que garantam competitividade e a geração de novos empregos.