Por: SC Portais | 01/08/2018
A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, registrou Lucro Líquido de R$ 441,8 milhões no primeiro semestre de 2018, um aumento de quase 60% na comparação com o mesmo período de 2017. O lucro obtido antes do recolhimento de taxas e impostos e do cálculo de depreciação e amortização (Ebitda) da empresa com origem em Portugal teve alta de 15,6% no período, passando de R$ 1,073 bilhão em 2017 para R$ 1,241 bilhão neste ano. A EDP é acionista da Celesc e detém 19,62% de participação na companhia catarinense. As duas companhias também se associaram para constituir a EDP Transmissão Aliança SC, responsável pela construção de 500 quilômetros de linhas de transmissão de energia elétrica, que passará por 28 municípios das regiões Sul e Meio Oeste do estado. O projeto, orçado em R$1,3 bilhão, está em fase de licenciamento ambiental.
Tudo o que os prefeitos querem!
Os prefeitos dos 295 municípios catarinenses terão a oportunidade de conhecer proposta de integração da prestação de contas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC). A proposta de um sistema eletrônico de gestão  será apresentada pelo diretor de Controle dos Municípios (DMU) do TCE-SC, Moisés Hoegenn, em audiência pública, no próximo dia 8 de agosto, na Assembleia Legislativa. O Sistema Integrado de Gestão (SIG), como é conhecido, busca integrar a base de dados das contas públicas dos municípios catarinenses, câmara de vereadores e suas unidades gestoras em plataforma única. Entre os benefícios do sistema estão a modernização da ferramenta de abastecimento de informações, a geração de indicadores de gestão em tempo real, a inserção de inteligência artificial, a automatização de procedimentos, a redução dos custos para os municípios, o auxílio no aumento da arrecadação e a facilitação do trabalho das prefeituras, inclusive com alertas do próprio sistema quando falta um documento ou uma informação. Menos burocracia, mais agilidade, custo menor, mais eficiência. Tudo o que os gestores públicos municipais querem!
Foto: Agência AL
 
“Não tínhamos como ficar pela terceira vez seguida de fora da disputa
eleitoral. Acho que eleições tem que ter dois turnos mesmo. É bom que seja assim. Cada partido deve lançar candidato até para mostrar seu tamanho.”

Candidato do MDB ao Executivo estadual, o deputado Mauro Mariani demonstra em sua fala a confiança que tem na militância emedebista, ainda o maior partido de Santa Catarina.
Não vai dar Depois de passar por um check-up em São Paulo, o deputado estadual Leonel Pavan (PSDB) desistiu de vez da candidatura à reeleição. “Estou bem, seria uma reeleição fácil… mas preciso me cuidar, me preservar”, justificou. Ele foi convidado para ser suplente ao Senado compondo com Napoleão Bernardes. A decisão ainda não está tomada. “Antes preciso saber qual é a minha missão. Não posso passar pelo cansaço da estrada e pelas emoções fortes de uma campanha.”

Ainda assim, o deputado Pavan não vai ficar totalmente de fora. Seu filho Leonel Júnior Pavan foi confirmado para concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. “Vou fazer campanha pra ele”, garantiu. Vale lembrar que Pavan passou por um AVC hemorrágico e ficou vários dias em coma, na UTI. Ainda que tenha se saído bem da situação, sem sequelas, enfrentar o ritmo de uma campanha eleitoral seria temerário.

Segundo turno  Diante do quadro atual, de cinco candidaturas ao governo – PSDB, PSD, PP, MDB e PP -, o candidato tucano Paulo Bauer já tem como certo que haverá segundo turno pela pulverização de votos. Na convenção do PSDB, no último domingo (29/julho), ele manifestou outra certeza: a eleição de Bernardes: “Meu atual gabinete será ocupado por ele”, afirmou ao falar da tradição de repasse de espaço que existe no Senado.

Nunca antes…  Para o pestista Décio Lima, que deve ser confirmado candidato do partido ao governo estadual na convenção do próximo domingo (5), acredita que nunca antes na histórica política do PT em Santa Catarina foi tão certa a presença da sigla no segundo turno. “O cenário mostra que o modelo que tentou construir a tríplice aliança e o passado da trílplice aliança se revelaram em ajuntamentos meramente fisiológicos. Fizeram alianças entre eles, nunca com o povo”, fala já em tom de campanha.