Por: SC Portais

Não há quem negue a máxima que dá título à matéria. Mas de nada adianta ter informações preciosas sem a capacidade de interpretá-las e de usá-las em uma tomada de decisão tão importante quanto o voto. Por isso a proposta do Real Time Big Data, instituto de pesquisas criado recentemente, é não só fazer as pesquisas e apresentar os números, mas ajudar a população a entender o que esses números de fato estão mostrando quando cruzados. Só aí será possível perceber as tendências. Quem explica é o cientista político do Real Time Big Data, Bruno Soller. Com 12 anos de experiência na área de pesquisas, ele conta que esse é o diferencial do instituto.

“A grande mudança que estamos trazendo, junto com a TV Record em 17 estados, é a forma de apresentação da pesquisa, que está deixando de ser somente números para ser uma análise desses números. Ou seja, nós apresentamos os resultados quantitativos e exploramos o potencial qualitativo”, contou, ao acrescentar que a intenção é “falar para a população o que os marqueteiros falam para os candidatos”. A metodologia da aplicação da pesquisa propriamente dita é universal. Em Santa Catarina foram entrevistadas 1.110 pessoas, em cinco macrorregiões, num recorte proporcional dos dados censitários.

Por conta da parceria do Grupo RIC com a Associação de Diários do Interior (ADI-SC) e com a Associação dos Jornais do Interior (Adjori-SC), além de veículos independentes, que soma perto de 100 jornais impressos e digitais, a pesquisa realizada pelo Real Time Big Data e que será divulgada no noticiário da noite da emissora, logo depois estará nos portais de notícias dessa grande rede e, amanhã, nas páginas dos impressos. A experiência de esmiuçar os dados da pesquisa já foi confirmada como exitosa em 12 estados, entre eles São Paulo, Pará, Goiás, Bahia e o Distrito Federal, além da pesquisa nacional para presidência da República.

Santa Catarina será o primeiro estado da região Sul do país a receber o novo método de divulgação de pesquisa eleitoral. “O interesse da população é muito grande, o que fica claro pelo salto na audiência durante a análise. As pessoas gostam do debate sobre o cenário. Os números sozinhos não dizem nada, mas as variantes que os números trazem são inúmeras. E muito ricas em informações.”

Foco nas cidades

O candidato ao governo pela coligação “Santa Catarina Quer Mais”, Mauro Mariani, propõe a criação de uma estrutura, junto à Secretaria de Estado da Infraestrutura, dedicada a atender as demandas dos municípios. A pasta, que não teria custo adicional, pois usaria o efetivo já existente, seria voltada a realizar projetos para melhorar a mobilidade. “Metade da população brasileira vive em regiões metropolitanas. O estado precisa ser um parceiro dos municípios para resolver problemas crônicos, como é o caso da mobilidade urbana. O estado precisa ter um olhar especial sobre as cidades”, ressaltou Mariani. | Foto: Divulgação SC quer mais

Observando as agendas dos candidatos e considerando o preço do combustível, dá para imaginar que está será uma campanha bastante onerosa. Hoje, por exemplo, Gelson Merisio, candidato ao governo pelo PSD, Aqui é Trabalho, estará hoje pela manhã em um encontro com prefeitos e vice-prefeitos no município de Palhoça, na Grande Florianópolis. Mas à noite já estará 250 quilômetros distante dali, em São Bento do Sul, para o lançamento da campanha à reeleição do presidente da Assembleia, Silvio Dreveck (PP).

Hoje, Mauro Mariani, candidato ao Executivo estadual pelo MDB, SC Quer Mais, passa o dia em compromissos em Chapecó e região. Amanhã já estará com agendas em Concórdia, Seara, Itá, Ipumirim, Lindoia do Sul e Irani. Na sexta, terá agenda em Joinville, no Norte do estado, de onde sai para agenda em Criciúma, no Sul.

Por sua vez, Décio Lima, candidato pelo PT, Renova SC, estará em Brasília, onde cumpre agenda como deputado federal em Brasília, onde estará presente nas votações da sessão da Câmara dos Deputados. Cumprida a tarefa, também segue para Chapecó, para as agendas de campanha.

Aprovados O TRE-SC divulgou no final da tarde de ontem a aprovação de mais três candidaturas. Depois da de Mariani, no dia 29 de agosto, agora passaram pelo crivo dos desembargadores os registros de Ingrid Assis, do PSTU, para governadora; de Roberto Luiz Salum, da coligação Santa Catarina em Primeiro Lugar (PMN/PATRI), e de Ricardo Walter Lautert, do PSTU, que disputam vaga ao Senado.