Por: SC Portais | 25/05/2018

Durante todo o dia de ontem, a Associação de Diários do Interior (ADI-SC) e o SCPortais realizaram a Jornada de Debates Fake News X True News – o valor do jornal, XII workshop da entidade, na sede da Federação das Indústrias (Fiesc). O presidente da ADI-SC, Ámer Felix Ribeiro, apresentou o evento como um dos mais importantes do setor da Comunicação, considerando o nível dos participantes. A mesa foi composta pelo presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, e seu vice, Mario Cezar de Aguiar, o governador Eduardo Moreira, o presidente do TRE-SC, desembargador Ricardo Roesler, o presidente da Associação Catarinense de Imprensa (ACI), Ademir Arnon, o presidente da ADI-BR, Jedaías Belga, e o deputado Gabriel Ribeiro, representando a Assembleia Legislativa. Entre os participantes estavam ainda o secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira, os deputados Esperidião Amin, federal, João Amin, estadual, e o diretor Administrativo do BRDE, Renato de Mello Vianna.

Em sua participação, Pinho Moreira afirmou que lê diariamente os jornais do interior. “É por estes jornais que eu sei o que está acontecendo em Santa Catarina. Os diários do interior são fundamentais e devem continuar sendo pautados pela verdade.” O governador citou a gravidade do tema dando um exemplo recente, quando foi lançada nas redes sociais notícia da morte do deputado Leonel Pavan. O parlamentar está em estado grave, vítima de um AVC hemorrágico. No entanto, a informação de seu falecimento era falsa.

No Momento TRE-SC, Roesler falou da preocupação com o impacto das fake news nas eleições de outubro. “As notícias falsas são séria ameaça ao pleito, podendo alterar resultados em disputas acirradas”, alertou. E anunciou que o TRE catarinense foi o primeiro do país a criar um comitê para tratar das fake news, com protocolos de investigação para assessorar os juízes que trabalharão no período eleitoral. “Não venceremos o trabalho sozinhos. É preciso o engajamento da sociedade.”

O webjornalista Willian Waack foi o responsável pela palestra seguida de debate sobre o tema Fake News x True News. Com 48 anos de Jornalismo, disse que as notícias falsas não são novidade. A diferença agora está no fato de as pessoas terem perdido a referência de credibilidade. “Antigamente antes de acreditar na notícia, as pessoas buscavam nos grandes veículos de comunicação. Se eles publicavam é porque era verdade. Hoje isso não acontece mais. As fake news ganharam espaço porque os veículos deixaram de entender seu público.” Waack defendeu que, para reverter este quadro, é preciso ser transparente e ter o público como foco.

Justa homenagem

Foto: Marcos Campos

O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, foi o primeiro palestrante do evento promovido pela ADI-SC/SCPortais. Destacou a diferença entre fake news e true news, e citou Pesquisa do Massachusetts Institute of Technology (MIT) que indica que a chance de uma notícia falsa ser repassada é 70% maior que a de uma verdadeira. “Em meio às dificuldades do Brasil, os jornais regionais têm papel de extrema relevância para que a informação chegue aos catarinenses. O primeiro jornal a ser consultado pelos industriais é o regional, para se situar sobre as notícias de seu espaço. Os jornalistas estão integrados às comunidades, participam das atividades e são peças centrais para fazer as true news. Enfim, os jornais regionais são elo fundamental entre a notícia e o industrial”, declarou. Ao final de sua participação, Côrte foi homenageado pela ADI-SC pelo trabalho que realizou à frente da Fiesc, com a leitura de um texto que enalteceu sua liderança, um vídeo com recortes de jornais sobre o trabalho que realizou à frente da Fiesc, e uma placa entregue por Ribeiro e Moreira.

Valorização do jornal

Foto: Marcos Campos

Logo depois da abertura, o presidente do Grupo RIC, Marcello Petrelli, e o presidente do Sindicato das Agências de Propaganda (Sinapro-SC), Pedro Cherem, lançaram a campanha de valorização do meio jornal, seja impresso ou virtual. Com o mote Quem lê jornal lê verdade, a campanha combate a proliferação das notícias falsas. “O público que lê jornal é altamente qualificado, o que amplia a eficácia da mensagem. Se não está nos jornais, desconfie, a notícia pode ser falsa”, observou Cherem. Participaram do ato ainda o presidente do Grupo NSC, Mário Neves, e da Adjori-SC, Miguel Gobbi.