Por: SC Portais

Cursos de Mecânica de Aeronaves e Projetos de Inovação na área espacial são algumas oportunidades imediatas de parceria que podem ser firmadas entre o Senai-SC, ligado à Federação das Indústrias (Fiesc) e a Força Aérea Brasileira (FAB). A avaliação é do comandante da Aeronáutica, tenente brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato. Nessa sexta-feira (21) ele liderou visita de comitiva da corporação a unidades do Senai-SC na Grande Florianópolis. O grupo esteve na Escola de Mecânica de Aviação, em Palhoça, e no Instituto de Inovação em Sistemas Embarcados, na Capital.
“Com certeza, no que vimos em Palhoça, temos interesse na formação de técnicos para manutenção de aeronaves e já estamos trabalhando juntos – com o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica – em projetos na área espacial”, disse Rossato. “A espacial já é, no mínimo, uma área de extrema relevância para nós e que deve ter resultados bem ampliados a partir de agora.” Segundo ele, a proposta é conhecer as áreas de atuação do Instituto Senai para identificar outras oportunidades de parceria. Ele citou como exemplo áreas como as de veículos aéreos não tripulados (VANT) e monitoramento.
Além de Rossato, compuseram a comitiva da FAB o tenente-brigadeiro do ar Paulo João Cury, comandante-geral de apoio da Aeronáutica, o major brigadeiro do ar Marcelo Kanitz Damasceno, chefe de gabinete do Comando da Aeronáutica, o coronel aviador Luiz dos Santos Alves, comandante da Base Aérea de Florianópolis, entre outros oficiais.

Demandas militares

Na quinta-feira (20), no começo da missão, o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, destacou ao alto comando da FAB as possibilidades de parceria da indústria catarinense com as Forças Armadas. Ele fez uma referência especial ao satélite em desenvolvimento no Instituto Senai e que poderá prestar apoio também à Segurança Pública. O presidente do Comitê da Indústria de Defesa da federação (ComDefesa), Cesar Augusto Olsen, citou diversos produtos já fabricados pela indústria catarinense que atendem as exigências militares, como revestimento de navio e de aeronave, cerâmica balística e tecido imperceptível ao infravermelho. “A função do ComDefesa é fazer a interface entre as demandas militares e a indústria e mostrar as oportunidades disponíveis. Sabemos que grande parte do material (para fins militares) adquirido pelo Brasil é importado, mas está havendo um despertar da indústria nacional”, avaliou. | Foto: Ivonei Fazionni

Voz Única

Seguindo o roteiro anunciado, nesta sexta-feira (21) a Federação das Associações Empresariais (Facisc) entregou a Cartilha Voz Única com as demandas da região do Vale do Itajaí, em Blumenau. O candidato ao governo do Estado pelo PT, Décio Lima, na foto com o presidente da entidade, Jonny Zulauf, lamentou que o PIB catarinense cresceu menos que o do país. E reforçou: “O meu governo fará uma nova convenção com o setor produtivo”. O candidato a vice-governador Napoleão Bernardes (PSDB, SC quer mais) também recebeu o documento das mãos de Zulauf . “Como governador do Vale, estou imbuído em devolver o protagonismo para a nossa região”, disse. Tanto Décio quanto Napoleão foram prefeitos de Blumenau e conhecem bem a região. | Fotos: Divulgação coligações
Falando em Blumenau… De forma inédita, a Polícia Militar (PMSC) terá olhos eletrônicos e bem atentos a toda movimentação na Vila Germânica, durante a 35ª edição da Oktoberfest. A PM vai utilizar dez drones para garantir a segurança de moradores e turistas. Os equipamentos, com câmeras acopladas, vão sobrevoar toda a área da Oktober e os arredores da Vila, garantindo, em tempo real, um monitoramento mais amplo e ágil, a partir de qualquer situação suspeita.

Vale lembrar que, ao definir a Segurança Pública como uma de suas prioridades, o governador Eduardo Pinho Moreira sempre defendeu o uso de novas tecnologias para ações mais resolutivas e de proteção à vida. Como pano de fundo, a eficiência: mais resultados com menos gastos.