Por: SC Portais | 20/07/2018
Conforme estava agendado, o governador Eduardo Pinho Moreira foi recebido ontem pelo ministro da casa Civil, Eliseu Padilha. Foi em busca de apoio para assuntos de grande importância para Santa Catarina, tratados também em audiência no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – negociações para exportação de carne suína ao México, que pode dar um novo fôlego para a agroindústria do estado; a diferenciação de Santa Catarina frente aos demais estados brasileiros como zona única livre de febre aftosa sem vacinação, um forte diferencial para o mercado externo; e melhorias na estrutura da aduana de Dionísio Cerqueira para dar agilidade ao desembaraço de cargas. Moreira relatou a Padilha que a espera pela liberação de caminhões carregados por vezes ultrapassa uma semana. Para o governador, uma solução possível é terceirizar o serviço, uma vez que não há auditores suficientes para dar vazão à demanda. Mas tudo depende do governo federal. Ele reforçou ainda que as melhorias são essenciais na fronteira seca do estado, pois Santa Catarina quer ativar a Rota do Milho, trazendo o grão da Argentina e do Paraguai. Só com isso a aduana passará a receber mais 150 caminhões todos os dias. Na segunda-feira (23), às 17 horas, A pedido do governador, tanto o encontro com Padilha quanto a reunião no BID, onde pediu prorrogação do prazo de obras do BID 6, foram a portas fechadas e sem cobertura da imprensa. Moreira transmite o cargo para o desembargador Rodrigo Collaço, presidente do Tribunal de Justiça. Sairá em viagem internacional e de ordem particular. Viaja já na segunda-feira e só reassume o governo no dia 2 de agosto.
Jaqueta histórica
Considerado o sucessor do ex-governador Luiz Henrique Henrique, o pré-candidato ao governo pelo MDB, deputado Mauro Mariani, guarda com carinho a jaqueta que recebeu de presente de LHS, em 2010, quando se elegeu senador. “Agora eu vou passar a minha jaqueta ao meu sucessor”, disse o ex-governador, na ocasião, ao receber a notícia de que estava eleito. O MDB, que vê no legado de LHS combustível para a campanha, faz hoje seu primeiro encontro macrorregional, em Içara, no Sul do estado, com a presença de Mariani, do governador Eduardo Pinho Moreira, deputados estaduais e federais, além de líderes do partido na região. | Foto: Marcelo Tolentino
Destino Entre as agendas do governador Moreira ontem, em Brasília, não podia faltar a visita ao gabinete do catarinense Vinicius Lummertz, ministro do Turismo. Em suas redes sociais Lummertz comemorou a visita e divulgou a pauta da conversa: apoio a projetos que vão consolidar o estado como um dos mais importantes destinos turísticos do Brasil. Ao apresentar os valores que já empenhou para Santa Catarina, o ministro deixou claro que está fazendo a parte dele.

Economia e tecnologia A pré-candidata à presidência do país pelo partido Rede Sustentabilidade, Marina Silva, passou o dia ontem em Santa Catarina. Recebeu informações sobre a economia do estado na Federação das Indústrias (Fiesc) e sobre o perfil tecnológico na Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). Marina falou de seu interesse no uso de tecnologia para auxiliar a gestão pública em pontos estratégicos, como acompanhamento de projetos e transparência. Uma aproximação para troca de informações entre Acate e sua equipe de plano de governo foi indicada presidenciável. Já na Fiesc, destacou que o mundo busca “um novo ciclo de prosperidade”. Ao falar sobre o cenário político, foi veemente na crítica à polarização de ideias. Hoje à noite, em Florianópolis, ocorre a convenção estadual da Rede-SC.

Reconhecimento Senador Paulo Bauer está que é só sorrisos. Na condição de ex-secretário de Estado da Educação, foi o parlamentar que mais destinou recursos para a Educação de Santa Catarina por meio de emendas na atual legislatura. Desde 2015, foram R$ 15,1 milhões, quase 40% a mais do que o segundo colocado, o deputado federal Jorge Boeira (PP).

Destino As verbas foram alocadas para financiar projetos de apoio e desenvolvimento da educação básica, reestruturação e expansão de instituições federais de ensino superior, e de Educação Profissional e Tecnológica, bem como para a compra de ônibus para transporte escolar.

Gás para o interior Em reunião da Câmara de Assuntos de Energia da Fiesc,  que acontece na próxima quinta-feira (26), o presidente da SCGÁS, Cósme Polêse, falará sobre a chamada pública para compra de gás natural em Santa Catarina a partir de 2020, ano em que se encerra o atual contrato de suprimento da distribuidora com a Petrobras. Este modelo de negociação com os potenciais novos supridores deve abrir espaço para alternativas que facilitem a chegada do gás às regiões do interior catarinense, como o surgimento de players interessados em expandir a rede para estes locais ou a entrega de gás em estado liquefeito, por exemplo.

Atualmente, o serviço de distribuição em Santa Catarina é feito quase todo por meio de ramificações do Gasoduto Bolívia-Brasil, com exceção de nove postos de combustível e três indústrias que recebem o insumo comprimido.