Por: SC Portais

Comunidades terapêuticas credenciadas pelo Projeto Reviver (Rede Estadual de Atenção a Dependentes Químicos) esperam para hoje o pagamento de parte da dívida que a Secretaria de Estado da Saúde vem acumulando. As 72 clínicas têm, cada uma, 10 vagas pelo Reviver, ao valor mensal de R$ 1 mil cada vaga. Sem o repasse dos valores referentes a dezembro de 2017 e a janeiro de 2018, a dívida já chega a R$ 1,4 milhão. A expectativa é que pelo menos a metade seja depositada hoje para viabilizar a continuidade do atendimento. O deputado Ismael dos Santos (PSD), presidente da Comissão de Prevenção e Combate às Drogas, da Assembleia Legislativa, contou à Coluna Pelo Estado que tem tratado do assunto com o secretário Acélio Casagrande. “Ele tem se mostrado muito aberto e interessado no projeto”, observou Santos, ao destacar que o programa beneficia as famílias dos usuários e a sociedade como um todo. “É uma situação de Saúde e de Segurança Pública, as duas prioridades do governador. De cada 10 crimes, sete envolvem narcotráfico”, apontou. O projeto está em sua terceira edição e já acolheu 15 mil pessoas, considerando aí as que concluíram o período de terapia, que pode variar de seis a nove meses, e as que não permaneceram nas clínicas. A taxa de recuperação é de 35%. Veja a cobertura estadual do projeto no site reviver.repensul.com.br

Aproximação

O governador em exercício Eduardo Pinho Moreira convidou o deputado Maurício Eskudlark (PR) para ser vice-líder de governo na Assembleia. O convite foi feito ontem à tarde, durante a inauguração da subestação da Celesc, em Maravilha. O aceite veio só depois do aval positivo do deputado federal Jorginho Mello, presidente do PR-SC. Dois fatos podem ter pesado para o convite. Eskudlark é delegado de carreira da Polícia Civil e um dos parlamentares que mais tratam do assunto Segurança Pública no Legislativo, tema prioritário do período Eduardo Moreira. O outro fator é a desejável aproximação de do governador do MDB com o maior número possível de partidos, incluindo o PR, que tem registrado um importante crescimento no estado.

Tchau, queridos

O deputado federal João Paulo Kleinübing deixou de compor o PSD e voltou para o DEM (antigo PFL), ontem, durante convenção nacional do partido, em Brasília. Ele já assume hoje  a presidência do diretório estadual, no lugar de Paulo Gouvêa da Costa. Em coletiva à imprensa, deve anunciar pré-candidatura ao governo do Estado.

Clima de expectativa na Assembleia sobre desdobramentos da crise que envolve o PSD desde a prisão do deputado federal João Rodrigues. A possibilidade de integrantes da bancada estadual seguirem os passos de Kleinübing, rumo ao DEM, aproveitando a abertura da janela partidária, é motivo de conversas frequentes em gabinetes e corredores. Os nomes mais citados são os dos deputados Ricardo Guidi, Ismael dos Santos e Milton Hobus.

Reforço

Também começaram a pipocar na imprensa notas que falam da possibilidade de intervenção do PSD Nacional no estadual, presidido pelo deputado Gelson Merisio. Apesar do clima de incertezas, as fileiras do PSD devem ganhar reforço na próxima semana do deputado Antonio Aguiar, que deixa o MDB.

Investigado

Uma petição autônoma serviu de base para o ministro Edson Fachin, do STF, autorizasse a investigação sobre as contas de campanha ao governo do Senador Paulo Bauer (PSDB-SC), nas eleições de 2014, por suspeita de caixa 2. O valor não declarado seria de superior a R$ 11,5 milhões. Em nota oficial emitida no começo da noite de ontem, Bauer diz ter sido surpreendido com a notícia e pontua elementos que deverá usar em sua defesa. Mas afirma que a Justiça e os órgãos de investigação devem cumprir o seu papel.

Segurança

A violência crescente em comunidades periféricas dos centros urbanos de Santa Catarina motivou convite ao secretário de Estado da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, para participar, na próxima quarta-feira (14), de audiência pública organizada pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia. A proposta foi debatida na última reunião ordinária, de forma suprapartidária. O novo presidente da Comissão, deputado Fernando Coruja (PMDB), acatou sugestões de Dalmo Claro (PSD), Dirceu Dresch (PT), Nilso Berlanda (PR) e Cesar Valduga (PCdoB).