Por: SC Portais

“Atenção especial para a Saúde”

Líder da Bancada do PSD, deputado Milton Hobus

O ano foi de desafios e busquei atender todas as expectativas. Inserido em um grupo de parlamentares atuantes e da base governista, trabalhei pela união entre os deputados estaduais do PSD, e destes com os demais parlamentares
que compõem a Assembleia Legislativa. Fui escolhido como líder da Bancada do PSD e isso me trouxe o desafio de aprimorar a linguagem dos nossos deputados. Encerro o ano parlamentar com a certeza que alcançamos bons resultados. Foram frutos colhidos pelo bem dos mais de sete milhões de catarinenses. Não tenho dúvida que as conversas mais freqüentes e as reuniões da bancada, realizadas todas as terças-feiras, nos permitiram compreender
o que era melhor para todos os habitantes de Santa Catarina. O “time” de pessedistas apresentou Projetos de Lei exequíveis durante 2017, defendeu ações do Executivo que contemplassem a nossa sociedade e permitiram que o
Estado realizasse atos que resultassem na manutenção da economia, acréscimo em investimentos e permanência de uma gestão equilibrada. Durante 2017, os deputados da nossa bancada focaram na Saúde, Educação, Infraestrutura
e Serviço Social.Mas os olhos dos parlamentares, na Assembleia, estiveram atentos especialmente à Saúde, que passa por momento delicado no cenário nacional. Garantimos também o empréstimo para a Celesc, o repasse para a Saúde com maior percentual, asseguramos em alguns momentos mais poder de decisão do Parlamento. Vetamos, quando entendemos necessário, e derrubamos vetos, quando percebemos prejuízo à sociedade. A sincronia da bancada do PSD só demonstrou que o melhor para Santa Catarina foi feito e, desde as Comissões Permanentes até o Plenário, fomos tomados pela decisão correta para atender a todos os catarinenses, sem distinção. Nem sempre agradamos, mas buscamos fazer o certo, independentemente de setor. Temos que pensar no futuro, que já é incerto, e por isso decisões mais duras agora permitem um bom andamento em anos vindouros. Em 2017, um dos nossos
parlamentares renunciou para assumir a árdua função no Tribunal de Contas (TCE-SC), mas nesse meio tempo também ganhamos um novo parlamentar que se aproxima, Antonio Aguiar, que comporá o PSD em breve. Para 2018, o ano será de desafios pelo cenário eleitoral, mas nada que o bom convívio e as alianças não possibilitem o andamento de grandes projetos.

Deputados do PSD defenderam um importante empréstimo para a Celesc, atuando pela autorização para captação de R$ 1,1 bilhão. A intenção é tornar a empresa estatal mais forte e competitiva. O abastecimento aos catarinenses também foi beneficiado com a decisão do paramento catarinense.

Juntos, os pessedistas garantiram investimentos importantes em hospitais, aquisição de veículos para o transporte
de pacientes, novos policiais, bombeiros e melhorias em rodovias. O líder da bancada, deputado Milton Hobus, se dedicou para abertura do Centro de Oncologia no Alto Vale e a municipalização de trechos de rodovias estaduais. Ambos autorizados pelo governo.

Depois de receber correspondência do DNIT, anunciando apenas 30% do necessário para manutenção de rodovias
federais que cortam o estado, a Bancada do PSD repudiou veementemente a decisão. Para piorar, os parlamentares
receberam a confirmação de que apenas em 2021 a duplicação de um dos gargalos de escoamento da economia catarinense, a BR-470, deverá ser finalizada. Para os pessedistas, trata-se de uma afronta ao desenvolvimento de Santa Catarina.

Entre os desafios de 2017, a Bancada do PSD participou ativamente do esforço para deliberação de vetos do Governo que aguardavam apreciação. Alguns estavam há cinco anos esperando análise e votação. Quase 100 foram discutidos no primeiro semestre.

Fundos Entre os mais importantes projetos aprovados no ano estão os que asseguraram o empréstimo de R$ 1,5 bilhão para o Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam) e a destinação de quase R$ 30 milhões para o Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópicos, Cepon e Hemosc.