Por: Coluna Pelo Estado

Demanda apresentada no dia 16 de agosto, durante a realização de audiência pública em Brasília sobre rodovias federais em SC, as terceiras faixas da BR-282 começam a virar realidade a partir do 1º semestre de 2022. Pelo menos foi o que garantiu o Diretor Geral do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), general Santo Filho, ao senador Dario Berger (MDB), presidente da Comissão de Infraestrutura (CI) do Senado Federal, nesta terça-feira, 16 de novembro. Foram exatos três meses de espera, mas ao final a impressão que fica é que desta vez a pressão dos parlamentares federais catarinenses deu resultado.

“A duplicação da BR 282 é o ideal, mas precisamos ser realistas de que isso é inviável num curto período de tempo pela falta de recursos alegada pelo governo neste momento. No entanto, a população catarinense exige que algo seja feito”, diz o senador. Conhecida como Corredor do Mercosul, a BR-282 faz a ligação Leste-Oeste, cruzando todo o stado de Santa Catarina, com 684 quilômetros de extensão.

A rodovia vai de Florianópolis até o município de Paraíso, na fronteira com a Argentina, interligando regiões de grande importância econômica para o estado. As estatísticas da PRF-SC (Polícia Rodoviária Federal) apontam a ocorrência média de 2,157 acidentes por dia e de uma lesão grave ou morte (no local) a cada 2 dias. Os dados são do período de 2017 a 2020 e consideram os kms 15,0 (Palhoça) a 240 (Lages), o que confirma a necessidade da construção das faixas adicionais nos pontos críticos.

A sugestão do senador levada ao DNIT é apoiada pela  Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina), Facisc (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina)  e além de debatida em Brasília, foi também objeto de audiência pública em junho, em Lages, promovida pela CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), ACIL (Associação Empresarial de Lages) e MPF (Ministério Público Federal). Agora, é monitorar e cobrar para que a promessa saia definitivamente do papel.

 

Conforme da Dive-SC, 2021 registra 18.896 casos confirmados da doença no estado | Foto Divulgação/PMF

 

Combate à dengue

A Comissão de Saúde da Alesc aprovou, durante reunião realizada nesta quarta-feira (17), requerimento para debate relacionados  ao enfrentamento da dengue na Região Norte de Santa Catarina e na Grande Florianópolis. Será realizada audiência pública sobre o tema, atendendo à solicitação da Fecam (Federação Catarinense dos Municípios). Conforme da Dive-SC (Diretoria de Vigilância Sanitária de SC), o ano de 2021 registra o maior número de casos já confirmados de dengue no estado. Até o momento são 18.896 casos confirmados da doença. Número bem maior do que o do ano passado, quando foram registrados 11.376 casos durante todo o ano.

 

30 anos da Epagri

As três décadas de fundação da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) serão tema de sessão especial da Assembleia Legislativa. A solenidade acontecerá na quinta-feira (18/11), às 19h, no plenário Osni Regis, na Alesc, em Florianópolis. A iniciativa de sugerir a homenagem é do deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da Alesc, Zé Milton Scheffer. Além da atual diretoria da empresa, outras 10 personalidades com forte ligação com a história da Epagri serão homenageadas.

 

Sabatina

O senador Esperidião Amin (PP) cobrou de forma veemente, durante a reunião da CCJ no Senado, nesta quarta-feira (17), a deliberação de seu requerimento para que seja apreciada a sabatina de André Mendonça. Com a ausência do presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM), a comissão foi conduzida pelo vice Antonio Anastasia. Mendonça foi indicado ao STF pelo presidente Jair Bolsonaro em julho. Desde então, o nome do ex-ministro e ex-advogado-geral da União (AGU) ainda não foi sabatinado pela CCJ, que é presidida por Davi Alcolumbre.

 

 

Segurança

A Alesc aprovou o PLC 12/2021, que trata do reajuste salarial dos servidores da Segurança Pública. A matéria segue para a sanção do governador Carlos Moisés da Silva (sem partido). O governo informa que com o reajuste serão beneficiados (entre ativos, aposentados e da reserva) 5.154 servidores da Polícia Civil, 790 do IGP, 20.215 policiais militares e 3.992 bombeiros, num total de 30.151 pessoas. O ponto polêmico do projeto é o que concede o reajuste de 300% para os alunos oficiais da Polícia Militar, cujo subsídio passará de R$ 4,7 mil para R$ 16 mil.

 

Ecocardiograma fetal

O deputado estadual Neodi Saretta (PT) encaminhou pedido ao Secretário da Saúde para que seja ofertado gratuitamente na rede pública de saúde, o ecocardiograma fetal a todas as gestantes. O objetivo é diagnosticar precocemente doenças cardíacas congênitas. “Infelizmente este tipo de exame não é oferecido pelo SUS, por isso queremos que ele seja disponibilizado pelo Estado”, disse o deputado, presidente da Comissão de Saúde.

Ewaldo Willerding