Por: Coluna Pelo Estado

O número de hospitais catarinenses com lotação máxima caiu para menos de dez unidades, o que não ocorria há mais de um mês. Na segunda-feira, 28, cinco hospitais ainda estavam com 100% de lotação. Outros nove hospitais tinham apenas um leito e sete tinham apenas duas vagas.

No último sábado, 26, o Estado recebeu 100 respiradores pulmonares do Ministério da Saúde, o que vai permitir a abertura de novos leitos em diversas regiões. Mesmo assim, a taxa de ocupação de leitos adultos em UTIs no estado ainda é considerada alta, com 85,45%.

Vale lembrar que Santa Catarina ainda tem todas as regiões em risco gravíssimo para a Covid-19. O estado já registrou 5.039 mortes e mais de 479 mil infectados desde o início da pandemia. As festas de fim de ano, com eventos clandestinos e aglomerações aumentam as chances de contágio.

E mesmo diante de todas as recomendações para ampliação dos cuidados, o governo catarinense ainda trava na Justiça uma batalha para conseguir ampliar as medidas de flexibilização pedidas, principalmente, pelos setores econômicos que dependem do turismo.

O governador Carlos Moisés (PSL) tem evitado debater os dados negativos sobre a pandemia em Santa Catarina, como os hospitais lotados e os desrespeitos das medidas de segurança. Tem optado em se apegar em outros índices, que mostram que o Estado teria “uma boa gestão da crise”.

De fato, a arrecadação cresceu e o turbilhão político que atravessou o estado este ano —com dois processos de impeachment, afastamento de cargo e uma investigação que ainda corre no STJ— parece estar mais calmo após uma reaproximação com a Alesc.

Moisés diz: “fizemos nossa parte”. Em uma tentativa de transferir, agora, à população a responsabilidade pelos dados negativos que temos visto nas últimas semanas.

 

Estado quer mais flexibilização

A Procuradoria do Estado (PGE) ingressou com mais um pedido de suspensão da liminar que suspendeu flexibilizações do último decreto. O segundo recurso foi impetrado no domingo (27) e será avaliado pela presidência do Tribunal de Justiça. O governo quer reverter a decisão que suspendeu ocupação máxima em hotéis e eventos sociais. Por enquanto só está permitido apenas a retomada de cinemas e teatros com limite de ocupação. A PGE afirma que a decisão causa lesão à ordem pública administrativa, à saúde pública e à economia pública.

 

Fundeb

O presidente Bolsonaro sancionou o novo Fundeb, o Fundo responsável pelo financiamento de mais de 60% do ensino público do Brasil. O senador Dário Berger (DEM), que priorizou a discussão da proposta desde que assumiu a presidência da Comissão de Educação do Senado, em 2019, foi um dos principais articuladores para a aprovação e regulamentação do texto no Congresso Nacional, evitando que a forma de financiamento fosse extinta.

 

Trânsito

A pandemia não intimidou os motoristas que pegaram a estrada durante o Natal em Santa Catarina. O fluxo de veículos foi praticamente idêntico ao movimento registrado no feriado do ano passado. Foi o que constatou a Polícia Rodoviária Federal e a Arteris Litoral Sul.

 

Ano remoto

O trabalho remoto foi apenas um dos grandes desafios impostos pela pandemia nos serviços públicos este ano. Mais de 45 mil servidores se adaptaram à produção de suas atividades de forma remota e somente os serviços considerados essenciais para controle da crise ou atendimentos em saúde foram mantidos de forma presencial. Na esfera pública, dizem que a modalidade veio pra ficar.