Por: Coluna Pelo Estado

N esta sexta-feira, 9, o governador Carlos Moisés (PSL) receberá um representante de peso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Onyx Lorenzoni estará na capital para a assinatura do Termo de Adesão que vai disponibilizar mais R$ 1,5 milhão para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Ministério da Cidadania. Somente em 2020, o estado já recebeu mais de R$ 14 milhões neste programa.

Em meio ao avançado processo de impeachment que pode resultar no afastamento temporário de Moisés e da vice, Daniela Reinehr (sem partido) já nos próximos dias, a visita o ministro ganha outra conotação e tem como pano de fundo a reaproximação de Bolsonaro com o PSL nacional.

Em agosto, interlocutores do PSL nacional estiveram em Santa Catarina para anunciar o retorno do capitão à sigla. A volta de Bolsonaro ao partido implica também na aceitação dos governos e que também ditará a governabilidade do país, já que o próprio presidente também precisa ampliar sua base de sustentação por conta das denúncias que envolvem seus familiares diretos.

Além disso, sem conseguir formar uma base forte de políticos com cargos para a criação do Aliança, Bolsonaro esbarrou em um dos maiores problemas para sustentação do bolsonarismo nas eleições deste ano: a falta de verba.

Para Moisés, a aparência de bons amigos com Bolsonaro busca demover votos dos deputados que compõem o tribunal de julgamento e escapar do impeachment.

O que parece não estar muito claro ainda é qual serão os termos desta negociação. Moisés que tanto rechaçou fazer política com o parlamento local será que agora vai ceder ao ‘velho jeitinho’ de fazer política para salvar a própria pele?

Risco

Doze regiões do estado estão em nível Grave de risco para covid-19 e quatro em Alto risco. Pelo mapa divulgado esta semana, apenas nessas quatro regiões as aulas presenciais poderão retornar, desde que as unidades já possuam os protocolos de funcionamento concluídos.

Filme fantasma

O Estado de Santa Catarina repassou R$ 1,2 milhão para a produção e exibição do filme “The Heartbreaker – O quebrador de Corações”, mas a obra nunca chegou às telas. Em um processo permeado por irregularidades do início ao fim, o dinheiro público foi repassado para uma empresa com fins lucrativos e para uma associação, por meio do Fundo Estadual de Incentivo ao Turismo (FUNTURISMO), no ano de 2008. Passados 12 anos, o filme nunca foi exibido e o dinheiro não retornou aos cofres públicos. O Ministério Público de Contas de questiona, agora,  a regularidade das contas decorrentes desse repasse, e pede a devolução do dinheiro ao erário, bem como aplicação de multa aos empresários e agentes públicos envolvidos no caso. Empresários, a produtora e a associação, diretamente envolvidos no caso, estão  proibidos de contratar com o poder público até que o filme seja lançado.

 

:. Leia PDF da Coluna Pelo Estado desta sexta-feira, 9 de outubro

Volta às Aulas

Em reunião com a Federação dos Municípios, o Ministério Público de SC reafirmou que crianças, adolescentes e seus pais têm direito ao retorno às aulas nas regiões em que a autoridade sanitária defina que as atividades escolares presenciais são seguras.  Questões não sanitárias, como dificuldades na contratação de profissionais, no fornecimento da merenda ou na oferta do transporte escolar, embora compreensíveis diante da complexidade do tema, não podem servir como fundamento para a não retomada das atividades presenciais.

Finalista

O Ministério Público de SC é finalista em duas categorias do prêmio Inovação Judiciário Exponencial: “Enfrentamento da crise” e “Liderança exponencial”. A premiação visa incentivar iniciativas e projetos que façam diferença na Justiça.

Coluna Pelo Estado

Edição e textos: Fábio Bispo

Conteúdo: Patricia Krieger

peloestado@gmail.com