Por: Coluna Pelo Estado

A O feriadão em Santa Catarina foi marcado por acenos e recuos das autoridades do Estado em relação à pandemia, praias lotadas e um lamentável episódio de agressão a jornalistas.

O primeiro movimento partiu da governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido), que apagou comentário das suas redes sociais que pedia para que as pessoas cumprirem medidas para evitar a proliferação do novo coronavírus. Na mensagem, Daniela lembrou dos cuidados básicos, como higienização das mãos e uso de máscara.

A mensagem foi apagada após o deputado Jessé Lopes (PSL) fazer uma manifestação ao contrário do que recomendou Daniela. Jesse escreveu que as pessoas deveriam ir à praia e de preferência sem máscara, contrariando os decretos estadual e municipais que regram a ocupação na faixa de areia e obrigam o uso da máscara.

O desdobramento mais chocante disso tudo foi sentido na pela pela repórter Bárbara Barbosa e ao repórter cinematográfico Renato Soder, que foram agredidos na praia do Campeche, na manhã de segunda-feira, 2, enquanto realizavam reportagem mostrando justamente a aglomeração e o descumprimento das medidas vigentes. A jornalista foi cercada por três pessoas na areia da praia que chegaram ameaçar quebrar os equipamentos. Ela sofreu arranhões quando tentaram tirar o celular das suas mãos.

A governadora usou as redes sociais para lamentar as agressões, mas depois apagou a mensagem. Já o deputado Jessé, que além de incentivar o descumprimento das normas que visam proteger vidas —inclusive contrariando as recomendações do Ministério Público de SC— atacou os jornalistas em suas redes e relativizou os atos de violência contra a imprensa. O MP instaurou procedimento para investigar a conduta do deputado.

:.Leia o PDF da Coluna Pelo Estado

 

Segunda onda

Enquanto os número de novos casos do novo coronavírus estão em queda em praticamente todo o país e regiões de SC,na Capital a curva de contágio e de mortes voltou a subir no mês de outubro. Em Florianópolis, a taxa de ocupação de leitos chegou a 88% no começo do feriadão. O número de novos casos na Grande Florianópolis, que estavam em queda desde julho, aumentou quase três vezes em outubro. O número de mortes também aumentou na região na comparação com setembro.

 

Improbidade

O Ministério Público instaurou uma notícia de fato para apurar possível ato de improbidade administrativa do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), que é acusado de estupro por uma ex-funcionária comissionada. Esta primeira investigação vai apurar se os atos libidinosos flagrados pela mulher e que teriam ocorrido no gabinete de uma secretaria podem caracterizar crime de improbidade. Ainda não há manifestação do MP quanto a investigação criminal, para apurar o caso do estupro em si. Gean é candidato à reeleição e liderava intenções de votos até a última pesquisa, divulgada antes do caso vir à tona.

Milionários e o auxílio

O Tribunal de Contas da União vai investigar os candidatos milionários dessas eleições de 2020 que receberam auxílio emergencial do governo federal voltado para pessoas de baixa renda. Em Santa Catarina, pelo menos 77 candidatos com patrimônio declarado acima de R$ 1 milhão foram beneficiados com o auxílio. O caso dos catarinenses foi divulgado pelo site Congresso em Foco e após a publicação da reportagem diversos candidatos anunciaram a devolução dos recursos.

 

Arrecadação

Pelo quarto mês consecutivo, Santa Catarina atinge alta na arrecadação. Os números, consolidados até a última sexta-feira, 30, apontam que em outubro o Estado terá o melhor resultado de todos os tempos. Até o momento, a arrecadação foi de R$ 2,79 bilhões, alta de 17,8% em relação ao mesmo período em 2019. Somente com ICMS foram arrecadados R$ 2,27 bilhões, crescimento de 18,1% em comparação com outubro de 2019. Outra causa, apontada foi a retomada de diversos setores da economia, que tiveram as atividades reduzidas no período mais crítico da pandemia.