Por: Coluna Pelo Estado

O presidente Bolsonaro volta a Santa Catarina nesta sexta-feira, 6, para acompanhar a formatura de novos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O presidente desembarca em Florianópolis às 10h e a cerimônia está marcada para às 10h30.

Esta será a primeira visita do presidente a Santa Catarina após a interinidade do governo do Estado assumida por Daniela Reinehr (sem partido). A assessoria da governadora não confirmou se ela vai ter agenda com o presidente, mas desde que assumiu o governo, em 27 de outubro, Daniela tem dado sinais de que o estado deve enveredar para um alinhamento às políticas mais próximas ao do governo federal.

Entre essas ações, estariam o afrouxamento das normas de combate à pandemia e a troca do primeiro escalão do governo por correligionários ideologicamente mais alinhados às pautas bolsnaristas.

A última vez que passou por Santa Catarina, em julho deste ano, para sobrevoar as regiões atingidas pelo ciclone bomba, Bolsonaro não encontrou pessoalmente o governador Moisés, que estava com coronavírus.

Acompanham o presidente, na comitiva, o ministro da Justiça, André Mendonça, e o senador Jorginho Mello (PL), vice-líder do governo no Congresso.

Aliás, a aproximação de Daniela com Jorginho Mello, que tem pretensões em 2022, pode afastar a governadora do presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD), que polariza com o projeto de Jorginho.

 

Estiagem

A falta de chuva em Santa Catarina mantém a preocupação do setor agropecuário no estado. Nas regiões oeste, meio oeste e extremo oeste, as mais prejudicadas, o acumulado na maior parte dos municípios no mês de outubro somou apenas 40 milímetros, bem abaixo do normal para o período – entre 180mm a 200mm, de acordo com dados da Epagri/Ciram. O déficit hídrico, segundo o órgão do governo, já ultrapassa 700 milímetros neste ano. A falta de umidade no solo prejudicou a germinação de milho e soja já plantadas e danificou as pastagens para alimentar o gado leiteiro.

 

Livemício

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou a realização de live pelo cantor Caetano Veloso para arrecadar fundos para a campanha de Manuela D’Ávila (PC do B), candidata à Prefeitura de Porto Alegre. A realização do evento online gerou polêmica e chegou a ser proibido proibido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS). O entendimento foi o de que a live se caracteriza como showmício, prática vedada pela lei eleitoral. O relator no TSE, ministro Luis Felipe Salomão, entendeu que a Justiça Eleitoral não pode proibir previamente o evento e que “é permitido a candidatos e legendas comercializarem bens ou serviços, ou, ainda, promoverem eventos de arrecadação de recursos para a campanha”.

 

Trifásico

O deputado estadual Altair Silva (PP) apresentou projeto de lei (PL 0349.5/2020) que cria incentivo financeiro aos produtores rurais que se adequarem ao sistema trifásico de energia elétrica, permitindo melhorias na produtividade e eficiência. Para o deputado, o incentivo financeiro vai estimular o aporte de investimentos para modernização das estruturas produtivas no campo.

 

Debate

Devido às restrições de circulação por conta da pandemia, houve dúvida se haveria debate com os candidatos à prefeitura da Capital. Algumas tentativas já ocorreram, porém, até o momento nenhuma reuniu grande número de postulantes. Já o debate organizado pela da OAB/SC e LIDE/SC, confirmou os 10 candidatos. O debate ao vivo, será no dia 12 de novembro, às 18h30, e poderá ser acompanhado no Youtube, através da Seccional Catarinense da OAB.

Coluna Pelo Estado

Edição e textos: Fábio Bispo

Conteúdo: Patricia Krieger

peloestado@gmail.com