Por: Coluna Pelo Estado

Neste sábado, 12, a Secretaria da Saúde divulga mais um panorama da Matriz de Risco Potencial em Santa Catarina. Na semana passada, o mapa indicou que, além da Grande Florianópolis, que se manteve no patamar grave, as regiões Nordeste e do Médio Vale do Itajaí também melhoraram índices e saíram da situação gravíssima. As demais 13 áreas permaneceram no nível gravíssimo para transmissão da Covid-19. A expectativa é de evolução para melhor neste cenário, apesar de os números oficiais ainda exigirem atenção de todos. Conforme os últimos boletins diários, o Estado superou a marca histórica de 1 milhão de casos, com mais de 16 mil mortes. A taxa de letalidade está em torno de 1,59%, mantendo o sinal de alerta ligado; reforçado pela taxa de ocupação dos leitos de UTI Adulto pelo Sistema SUS próxima de 97%.

Mesmo com esses dados, o Governo do Estado, através de um grupo formado pela Santur, Secretaria da Saúde e representantes de entidades do segmento de entretenimento, discute a retomada de eventos testes em SC, mediante protocolo específico como: vacinação, exames prévios,  uso de máscara e distanciamento. A perspectiva é de realização destes shows, feiras, jantar e congresso no segundo semestre – o governo trabalha com a possibilidade de imunização total da população adulta em outubro.

Para ter base de dados, a intenção é seguir o exemplo de Serrana (SP), onde se reduziu em quase 100% as mortes quando mais de 95% da população adulta foi vacinada. “Vamos aplicar as doses fora do cronograma oficial para fazer pesquisas sobre a imunização”, explicou o governador Carlos Moisés. Se as ideias convergirem para a queda dos índices, ótimo. Mas, antes, temos que respeitar os protocolos de saúde – como distanciamento, higienização e, sobretudo, uso de máscaras.

 

Presidente da Fiesc, Mário Aguiar, elogiou ação do governo | Foto Divulgação/Fiesc

 

Previdência

A reforma da previdência estadual é oportuna, necessária e urgente, analisa o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar. “É uma questão de responsabilidade. Se não resolver agora, não haverá recursos para o pagamento futuro dos aposentados e a capacidade de investimento será consumida”, afirmou ele, em reunião esta semana com a presença de outras lideranças empresariais. Aguiar cumprimentou o governador pela iniciativa que deve chegar à Alesc nos próximos 30 dias, como antecipou à coluna o líder do governo, deputado José Milton Scheffer (PP).

 

BRDE, 60 anos

Principal referência como instituição de fomento de caráter público no apoio a empresas e produtores rurais nos três estados do Sul do país, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) completa 60 anos de atuação na próxima terça-feira (15). Entre os maiores bancos em tamanho de carteira de crédito do Brasil, com R$ 13,5 bilhões, a instituição tem como missão promover o desenvolvimento econômico e social de toda a região de atuação, compromisso cada vez mais alinhado com as agendas da inovação e da sustentabilidade. Em seis décadas de atuação, o banco já atingiu a marca de R$ 200 bilhões em operações de crédito.

 

SC GÁS

A SCGÁS e outras quatro distribuidoras de gás canalizado do Centro-Sul do país selecionaram 11 supridores para seguirem na etapa de negociação da Chamada Pública Coordenada (CP22). Ao todo, mais de 100 propostas seguem em negociação. No caso da SCGÁS, os selecionados foram Trafigura, GasBridge, NewFortress, Petrobras e Shell. O objetivo é que as distribuidoras celebrem contratos de suprimento, contemplando períodos de fornecimento de gás natural a partir do ano que vem.

 

Bloco X

Integrante da Frente Parlamentar Varejista, o deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) agendou para esta terça-feira , 15, reunião com o secretário da Casa Civil, Eron Giordani, para tratar da implantação da Obrigação Tributária Acessória – Bloco X pela Secretaria da Fazenda. O sistema, que entra em vigor no dia 1º de julho, obriga a apresentação de relatório diário de vendas.  Representantes de entidades empresariais do setor do varejista pedem que a implantação seja adiada e revista devido à dificuldade de implementação.

 

 

Ewaldo Willerding