Por: Coluna Pelo Estado

O presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD), deve convocar na sessão desta terça-feira, 4, partidos e blocos para fazer as indicações de seus representantes na comissão de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL), a vice Daniela Reinehr (sem partido) e o secretário Jorge Tasca, da Administração. Os nove membros deverão atender a proporcionalidade e ficarão responsáveis por analisar a defesa dos acusados.

A comissão terá dois lugares ocupados pelo MDB, duas vagas para o bloco PSD, PSDB, PDT e PSC, e outras duas com o bloco PP, Republicanos e Novo. PSL, PSB, PL e PT ficarão com uma vaga cada. Nos bastidores, as articulações já preveem que a comissão dificilmente vai emperrar o processo e que a decisão ficará para o plenário.

No pano de fundo estão as eleições de 2022, o possível mandato tampão de Julio Garcia e uma eleição indireta pelos deputados. A vice-governadora Daniela Reinehr, por exemplo, contratou o advogado Felipe Mello, filho do senador Jorginho Mello (PL), para sua defesa. Jorginho é um dos que costura alianças para 2022. E há quem acredite que este movimento poderia salvar todo o impeachment, incluindo o governador.

Por outro lado, o próprio Moisés vem trabalhando para construir uma base que lhe garanta os 14 votos necessários no plenário independentemente da estratégia da sua vice, já que ambos estão rompidos. Um dos caminhos é conseguir dividir a bancada do MDB.

E apesar de ainda insistir na tese de que o processo não tem fundamentação jurídica, o governador começa a perceber que essa saída não lhe dará frutos se não tiver uma decisão judicial nas mãos. A conta, agora, será pelos 14 votos.

Base

O governador Moisés reuniu deputados do MDB, PL, PSL e PDT para anunciar mais de R$ 90 milhões em repasses e investimentos para 36 municípios do Médio e Alto Vale do Itajaí. O encontro foi em Rio do Sul onde posou para foto ao lado de prefeitos e dos deputados Berlanda (PL), Jerry Comper  (MDB), Paulinha do (PDT) e do deputado Federal Fabio Schiochet (PSL).

 

Dia dos pais

Estudo da Fecomércio SC para o Dia dos Pais revela intenções de compra em sete cidades: Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Lages e Itajaí. Como opção de presente, o setor de vestuário (41,9%) fica na preferência. Calçados (10,9%), perfumes e cosméticos (10,7%) vêm na sequência. Para 44,3% dos entrevistados, a condição financeira piorou em relação a 2019. Além disso, 19,8% disseram que a situação financeira melhorou e 35,4% se consideram na mesma condição. O comércio de rua continua a principal opção dos catarinenses (56,2%).

 

Criação

Resultado de parceria entre a Prefeitura de Chapecó, o setor empresarial e artistas da cidade, foi criada plataforma para desenvolvimento de iniciativas sociais, culturais, esportivas e de saúde para crianças, adolescentes e idosos. Trata-se do Portal Social, que destina parte do Imposto de Renda devido por empresas locais a projetos que captam recursos pelas leis federais de incentivo à cultura ou com financiamento coletivo aberto.

 

Esquerda rachada

A frente de esquerda que pretende lançar candidatura na Capital entrou em conflito interno após deixarem o PT de fora da cabeça de chapa. O bloco escolheu  lançar Elson Pereira (PSOL) e Janaína Deitos (PCdoB).

Coluna Pelo Estado: Fábio Bispo e Nícolas Horácio