Por: Coluna Pelo Estado

A nova secretária de Saúde, Carmen Zanotto , teve nesta quinta-feira (1) o seu primeiro contato presencial com a governadora Daniela Reinehr (sem partido). As duas foram ao depósito da Vigilância Epidemiológica (Dive), em São José, na Grande Florianópolis, onde falaram com a imprensa sobre as primeiras ações deste momento de enfrentamento à pandemia, agora sob nova administração. Zanotto foi clara em sua fala: 1) foco nas medidas preventivas, com ampla divulgação para as boas práticas como uso de máscaras, distanciamento social e higiene nas mãos; 2) não quer ver doses de vacinas paradas, quer agilidade na distribuição; 3) vai seguir na luta para ativar o mais rapidamente novos leitos de UTIs.

Na prática, o discurso de Carmen Zanotto não difere muito do seu antecessor, André Motta Ribeiro. Tanto que ela mesma fez questão de esclarecer: “Não há terra arrasada na secretaria, o que estava sendo feito de bom, será dado continuidade”. A nova secretária sabe do que fala porque conhece bem a pasta. Servidora de carreira, lembrou que o prédio da Dive foi construído quando ela estava atuando na Secretaria da Saúde. Mesmo em Brasília, mantinha contato permanente com os servidores da pasta e agora, ao receber o terceiro convite para assumir o posto, disse que não poderia negar. “Não poderia deixar de cumprir essa missão como profissional de saúde”.

Ao lado de Daniela, Carmen Zanotto agora terá outro desafio que é o de definir medidas restritivas para os próximos dias, já que o decreto do governo perde efeito nesta segunda-feira (5). Neste sábado (3), ela se reúne com o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES), de onde sairão as novas regras. Mas uma delas já está bem clara e partiu da governadora: “ A ideia é não proibir. Restringir, sim. Proibir, não”, disse Daniela Reinehr, num determinação direta de que não haverá lockdown em SC.

 

 

Evento na Alesc lançou o Observatório Estadual da Violência Contra a Mulher | Foto Bruno Collaço/Agência AL

Observatório

Foi assinado o termo de cooperação técnica entre a Alesc, instituições para implantação do Observatório Estadual da Violência Contra a Mulher (OVM-SC). O evento, que reuniu o presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), a governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido), e lideranças políticas e jurídicas, foi avaliado como um dia histórico na luta pela vida e segurança das mulheres catarinenses. A Alesc é a primeira do Brasil a contar com o OVM-SC. A implementação foi coordenada pela deputada Luciane Carminatti (PT), por meio da Bancada Feminina.

 

Energia solar

SC é o sétimo estado que mais produz energia fotovoltaica, também conhecida como energia solar, representando 4,3% da produção nacional, segundo Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), em parceria com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Nesta linha, a Cooperativa de Crédito dos Profissionais dos CREAs e Demais Áreas Tecnológicas – CredCrea, criou, em 2019, uma linha de crédito para o financiamento de projetos e instalação de sistemas de geração de energia sustentável, seja a energia fotovoltaica ou a eólica. “A empresa exerce sua responsabilidade socioambiental, além de obter redução de custos em comparação ao consumo de energia elétrica”, afirma John Brito Hauptli.

 

Fritz Muller

Johann Friedrich Theodor Müller, o naturalista conhecido como Fritz Müller, completaria 199 anos neste 31 de março. A contagem regressiva para o bicentenário, celebrado em 2022, será marcada por um ciclo de comemorações artísticas, culturais, científicas e educacionais ao longo dos próximos 12 meses. A Agência AL e os demais veículos de comunicação da Alesc produzirão matérias sobre a história e a contribuição científica de Fritz Müller. Está no ar, no site da Alesc a exposição Fritz Müller 200 anos.

 

Cartórios

Cartórios de SC foram pioneiros no Brasil na realização de escritura e registro de imóveis por videoconferência. O primeiro ato foi realizado no dia 1° de abril de 2020, quando as regras vigentes determinavam o fechamento de várias atividades. O setor imobiliário é fundamental para a geração de emprego e renda e cresceu 26,6% em SC ano passado, segundo estudo conduzido pelo Colégio Registral Imobiliário de Santa Catarina, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) e apoio do Ministério da Economia.

Ewaldo Willerding