Por: Andréa Leonora

Muito tem se falado sobre as medidas adotadas pelas administrações locais e pelo governo de Santa Catarina. Mas a verdade é que quando foi decretada suspensão do transporte coletivo em todo o estado e o fechamento de estabelecimentos não considerados essenciais a situação já estava fora de controle. Na terça, quando o governador Carlos Moisés (PSL) baixou o decreto, na própria coletiva de imprensa circulou informação de que o número de infectados no estado já chegava a 15 pessoas. O principal foco estaria na região Sul, onde já há contaminação comunitária. As informações só foram atualizadas na quarta-feira, 19, dia que de fato entrou em vigor a medida. Em um dia os casos em Santa Catarina dobraram. Passamos de 7 para 14,com suspeitas em todas as regiões. Nos hospitais material de proteção, como álcool em gel e máscaras, começam a faltar. Na manhã de ontem, o comandante da Polícia Militar, coronel Araújo Gomes, tentou ser mais claro: “Nós sabemos que nem começou”, destacou o comandante. A instituição é responsável pelo acompanhamento do cumprimento do decreto, e quem descumprir pode estar sujeito a pagamento de multa e até prisão. Em entrevista ao Estadão, o presidente do Hospital Albert Einstein de São Paulo, médico-cirurgião Sidney Klajner, estima-se que para cada caso notificado no Brasil é possível que existam outros 15 infectados. Isso colocaria o país em uma situação muito mais alarmante. Os dados do estado foram atualizados na noite de ontem, após o fechamento desta coluna, mas sabemos que aumentou o número de infectados. Dados atualizados na versão online. www.scportais.com.br.
Fazendo valer o voto
Os prefeitos, principalmente das cidades de pequeno porte, estão tendo que ser criativos para, ao mesmo tempo, chamar os cidadãos para a realidade imposta pelo corona vírus e evitar a histeria. A solução encontrada pelo prefeito de Rio Negrinho, Julio Ronconi (PSDB), foi a de tomar para si a responsabilidade de informar os cerca de 45 mil moradores da cidade, diariamente, sempre ao final da tarde, sobre tudo o que está acontecendo. “Uma das nossas maiores preocupações é evitar a propagação de fake News. Tudo o que eu falo nas lives é de fonte oficial e verificado”, justifica. Ronconi acredita que mais de 80% dos habitantes acompanham os programetes.
Frase: “É como se nós estivéssemos na fase de alerta de um furacão,  estamos preparando a cidade, preparando as casas, nos cuidando para que o impacto seja o menor possível”, Araújo Gomes, comandante da Polícia Militar de SC
Legislando pelo Covid-19 Pelo quatro três catarinenses apresentaram medidas legislativas para amenizar os impactos. O senador Jorginho Mello (PL), em dois projetos de lei, pede aprovação da teleorientação médica pelo prazo de 180 dias, suporte financeiro para microempreendedores de até 2 salários mínimos, entre outros. O deputado federal, Carlos Chiodini (MDB) também pede a flexibilização em relação à cobrança de água, luz, coleta de lixo e telefone. Os serviços não poderiam ser suspensos por falta de pagamento.  Além disso, Chiodini pede suspensão da cobrança nas praças de pedágio.

Estaduais também O deputado estadual Bruno Souza (NOVO) lançou oito medidas pela desburocratização dos serviços, entre eles o parcelamento e remissão de tributos, carência para pagamento de tributos municipais, adiamento da entrega de obrigações fiscais e contábeis e extensão de todos os atos públicos de liberação de funcionamento por 1 ano. Já o deputado estadual Luiz Fernando Vampiro (MDB) visa postergar o pagamento da tarifa de luz, gás e água aos consumidores, nos meses de março e abril de 2020, e dividir o valor em 12 parcelas mensais iguais e sucessivas.

Alesc Vs Covid-19 Assembleia prorrogou a suspensão das atividades das sessões e comissões marcadas para a semana que vem. A expectativa é de que os deputados façam sessões virtuais. Também foi recomendado aos deputados a suspensão de atividades externas e autorizada a doação de R$ 20 milhões do Orçamento do Legislativo ao governo estadual.

Conselhos na economia Hoje a Federação das Associações Empresariais (Facisc) vai realizar uma live com o economista Leonardo Alonso Rodrigues com informações  sobre o coronavírus na economia.

Coordenação: Andréa Leonora (peloestado@gmail.com)
Conteúdo e redes sociais: Fábio Bispo e Eliane Ramos