Por: Andréa Leonora

O momento é de crise. De ânimos à flor da pele. É trabalhador que não quer sair de casa com medo de se infectar. É gente que quer ir pra rua garantir o ganha pão de todo dia. Empresários contabilizam perdas. Governos, ainda que lentamente, tentam dar respostas. Mas o inimigo é invisível. Alguns dizem querer o bem da coletividade. Outros, fazem questão de jogar para a torcida. No meio de tudo isso os dias correm. A pandemia assusta cada vez mais. A promessa é que ela vai chegar forte em breve. Em meio a esse clima, no último fim de semana, o vazamento de conversas privadas de deputados em manifestações acaloradas mostra que mesmo em tempos de crise, para alguns, falta bom senso e solidariedade. Falta diálogo. As vezes até transparência. Em duas mensagens, que podem ser acessadas no www.scportais.com.br, deputados catarinenses tiveram suas opiniões pessoais, em alguns casos dita no ambiente restrito do debate criado exclusivamente para eles, divulgadas em praça pública, no mínimo, por intenções um pouco duvidosas ou com alvos certeiros.Nas duas mensagens o alvo é o governador Carlos Moisés (PSL) e sua equipe. No centro do debate a decisão de voltar atrás e manter a quarentena. O saldo de tudo isso é mais desgastes entre os poderes, que já estão sendo levados à exaustão para saberem como lidar com esse momento inédito, e revela que o diálogo republicano tem cada vez mais perdido espaço na política catarinense.

Bombeiros

Um grupo de 20 alunos soldados do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) foi acionado para a realização da logística de materiais hospitalares, para o tratamento do novo coronavírus. A ação foi realizada neste domingo, 29. Uma equipe foi até a Gerência de Patrimônio, em São José e acondicionou em um caminhão os materiais que seguiram para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão. O grupo que estava no município do Sul do estado recebeu e descarregou no hospital.
“Por questões que poderiam inspirar até mesmo os mestres da ficção científica, a Alesc também se reinventou”. Júlio Garcia (PSD), sobre adoção das votações discussões virtuais.
Plenário dividido E o governador Moisés, que até hoje ainda não conseguiu consolidar uma base na Alesc, não parece que vai conseguir unanimidade nem em tempos de crise. A aprovação do estado de emergência, aprovada pelos deputados parece ter sido uma exceção. Nos bastidores já começa a desenhar aqueles que querem logo a volta da atividade econômica a qualquer custo contra os que vão defender o isolamento enquanto essa for a ordem dos organismos de saúde. A queda de braço não dá trégua.
Só uma gripezinha Deputado Jessé Lopes (PSL) protocolou um pedido de sustação do decreto do governador que determinou a quarentena em todo o Estado. No pedido ele argumenta que Santa Catarina já é acometida com outras doenças “mais agressivas” e nunca foi necessário tal medida.
Resposta cobrada A deputada Paulinha (PDT), líder do governo na Alesc, disse que já respondeu aos deputados que questionaram onde estão as ações do governo para conter o coronavírus no Estado. Ela informou a inclusão de 121 leitos de UTI adulto e mais 51 leitos extrateto, em hospitais que já mantém contratos com o Estado. Além da aplicação de R$ 80 milhões na aquisição de equipamentos, insumos e EPIs para servidores da Saúde.
Não é bem assim Senador Jorginho Melo (PL) contesta afirmação do governador Moisés de que Santa Catarina não teria recebido recursos federais para conter avanço da pandemia. Argumento foi usado para manutenção da quarentena. Jorginho lembrou que na Portaria 480 de 23 de março o governo federal liberou R$ 20,4 milhões para o Estado. Na coletiva desta segunda, 30, Moisés se explicou e confirmou o recebimento de R$ 14 milhões. “O que não recebemos foram os respiradores”, afirmou.
JFSC Vs Coronavírus A Justiça Federal em Santa Catarina está buscando reduzir o contágio comunitário do coronavírus. Por isso, suas unidades judiciais e administrativas estão em teletrabalho, por tempo indeterminado, cumprindo resolução do TRF4 que, por sua vez, segue diretrizes da OMS e das autoridades sanitárias. No momento, estão suspensos todos os prazos processuais e o atendimento ao público acontece principalmente através do processo eletrônico, por telefone e e-mail. Polícia digital
O aplicativo PMSC, está com novas funções. Na segunda, 30, o App foi atualizado para ajudar no combate ao coronavírus. Acessando o recurso, você encontra informações sobre os comércios que podem, ou não, ficar abertos no período de quarentena e as regras de funcionamento.

Jornalistas

Coordenação: Andréa Leonora
Conteúdo e redes sociais: Fábio Bispo e Eliane Ramos