Por: Coluna Pelo Estado

As regiões que apresentarem matriz de risco no nível amarelo (alto risco) poderão iniciar a retomada das aulas presenciais a partir do próximo dia 13 de outubro. A informação foi confirmada pela Secretaria de Educação. A Secretaria de Saúde deve publicar nesta sexta-feira, 2, as especificações sanitárias para o retorno.

Nas redes particular e municipal, o retorno ficará a critério dos gestores locais, desde que a volta às aulas presenciais ocorra de forma escalonada e seguindo as orientações sanitárias. Também é exigido que as unidades só retomem as atividades após terem protocolo consolidados.

Na rede estadual, as aulas online continuam até o fim do ano e o retorno presencial será voltado, principalmente, para 26% dos alunos da rede que tiveram dificuldades de realizar as atividades online ou não conseguiram realizá-las. Professores e alunos do grupo de risco não serão obrigados a retornar.

Atualmente, apenas uma região, o extremo-oeste, teria condições de risco para retomada das atividades presenciais. Segundo informou a Secretaria de Educação, a autorização para retomada das aulas no dia 13 parte de projeções de que o mapa esteja amarelo na maioria do estado até a data.

 

No que se refere aos protocolos sanitários, a Secretaria de Estado da Educação (SED) orienta que as unidades escolares tomem as seguintes medidas gerais:

Aferição de temperatura

Na entrada será feita aferição da temperatura do estudante e, caso sejam identificadas alterações, a escola acionará a família para que ele seja reconduzido para casa e que possa ser buscado auxílio do sistema de saúde. Durante a espera, o estudante ficará em sala específica, para não ter contato com os demais.

Uso constante de álcool em gel

Haverá instalação de dispensers de álcool 70% na entrada e em pontos estratégicos da unidade escolar, facilitando a higienização das mãos periodicamente por todos os estudantes e servidores. Cada professor deverá ter seu próprio frasco de álcool em gel 70% e deverá utilizar máscaras descartáveis, fornecidas pelo sistema de ensino.

Uso de máscara

Estudantes e servidores deverão, obrigatoriamente, utilizar máscaras durante todo o período em que permanecerem na escola, retirando-as apenas para as refeições ou nos momentos de troca, a cada duas horas ou quando esta estiver úmida. As máscaras dos estudantes não serão fornecidas pela escola, são de responsabilidade de cada família, podendo ser descartáveis ou de fabricação caseira.

Sinalização

Dentro da escola, os corredores terão marcações de fluxo, para evitar o contato e manter o distanciamento social de, no mínimo, 1,5m. Esse fluxo também se aplica à entrada e saída da escola.

Ventilação e espaçamento nas salas de aula

As salas devem ser espaços ventilados, sendo evitado o uso de ventilação elétrica. As carteiras deverão estar espaçadas, com distanciamento de 1,5m entre as laterais, frente e costas, tendo um espaço de circulação de 2m à frente da sala de aula.

Alimentação

As refeições dos grupos maiores serão organizadas em horários diferenciados para respeitar a capacidade máxima de ocupação do local. As refeições que antes eram servidas em forma de buffet estarão suspensas, sendo servidas por profissional ou em porções prontas previamente montadas.

Transporte escolar

Haverá controle da temperatura na entrada de ônibus escolar e vans, distanciamento dentro do transporte, mantendo bancos vagos entre um e outro assento e a ventilação natural. Os transportadores deverão utilizar máscaras e a proteção facial conhecida como face shield.

A Secretaria de Estado da Educação reforça que é essencial que as famílias não encaminhem para a escola estudantes que apresentem qualquer tipo de sintoma gripal. A escola deverá ser comunicada, caso aconteça algum caso de COVID-19 na família dos estudantes, para que sejam mobilizados e acompanhados os grupos que, porventura, tenham tido contato com esse estudante.