Por: Andréa Leonora

Por enquanto, em Santa Catarina, tudo dentro da normalidade neste domingo do segundo turno das eleições gerais de 2018. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) registrou problemas em 88 urnas no começo da votação, em diferentes cidades do estado. Destas, 33 tiveram que ser substituídas sem gerar maiores problemas para o ritmo da votação.
O estado conta hoje 15.562 urnas eletrônicas, das quais 11 em locais de voto em trânsito e 17 para a participação de presos provisórios.
A Justiça Eleitoral está recebendo uma série de denúncias e encaminhando à Polícia Militar das cidades de onde é feita a denúncia para verificação. A maior parte é de prática de boca de urna, mas nada foi confirmado.
Por outro lado, já foram lavrados três Termos Circunstanciados por crime eleitoral.

Em Florianópolis, no bairro do Rio Vermelho, um eleitor foi flagrado tentado filmar, ou seja, violar o sigilo de seu próprio voto. Foi detido e levado à delegacia. Em Dionísio Cerqueira, sem prisões, houve três registros de derrames de propaganda eleitoral.

No município de Palhoça, um auxiliar de delegado de prédio foi ameaçada por três mulheres que entraram na local de votação agitando bandeiras de um determinado candidato. Ao tentar impedir o que configura boca de urna, elas disseram que voltariam para “arrebentar a cara” da auxiliar. Foram presas e conduzidas à delegacia.

O presidente do TRE-SC, desembargador Ricardo Roesler, acompanhou agora pela manhã a auditoria das urnas, ou votação paralela, que está acontecendo no Auditório do Tribunal de Contas da União (TCU), no Centro de Florianópolis. Todo o procedimento está sendo transmitido ao vivo no canal do YouTube da Justiça Eleitoral de Santa Catarina.
Entenda o que é e a importância desse procedimento no vídeo que publicamos aqui no SCPortais por voltas das 11 horas. O empenho da Justiça Eleitoral é para garantir à população a segurança das urnas e a lisura do processo eletrônico de votação.

(Texto e fotos – Andréa Leonora)