Por: Coluna Pelo Estado

O governador Carlos Moisés (PSL) e a vice, Daniela Reihner (PSL), têm até o dia 27 de agosto para se manifestarem sobre o pedido de impeachment aceito na tarde desta quarta-feira, 22, pelo presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD). O prazo é o das 15 sessões como manda o regimento. Depois dessa data, uma comissão de nove deputados ainda tem 60 dias para se manifestar se aceita ou não o pedido. Só nesse prazo é que em tese pode ser declarado o afastamento dos cargos.

Nos bastidores da política, muitos ainda fazem as contas para entender o que levou o presidente Julio Garcia a colocar o assunto em pauta. A líder do governo, deputada Paulinha (PDT), tentou amenizar se prendendo a formalidade de que a aceitação é processo técnico e que o julgamento político vai isentar Moisés de culpa.

Dos seis processos de impeachment pedidos contra o governador, quatro foram arquivados e apenas um ainda aguarda parecer. O que foi aceito nesta quarta trata de aumento de salário concedido aos procuradores do estado sem apreciação do legislativo, feito por um ato administrativo, o que pode configurar crime de responsabilidade, segundo o autor da denúncia, o ex-defensor geral do Estado, Ralf Zimmer.

Em meio a tudo isso, o governo ainda segue na mira da CPI dos Respiradores que está por apresentar seu relatório final. Serão 15 sessões de muita espera, tensão e bastidor.

 

:. Leia o PDF da Coluna Pelo Estado desta quinta-feira, 23 de julho

 

Outro lado

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, participou de reunião de trabalho com o governador Carlos Moisés e outras autoridades catarinenses na Casa D´Agronômica, na manhã de quarta-feira. No mesmo dia que a Alesc aceitou pedido de impeachment do governador, Moisés ouviu de Pazuello elogios sobre a política catarinense de enfrentamento à pandemia. “Estou, de verdade, bem impressionado. Não que nós já não soubéssemos das medidas e de como as coisas estão acontecendo, mas conversar, assistir a apresentação e verificar o nível de gestão do Estado como um todo, por tudo isso eu acho que Santa Catarina está no caminho certo”, disse o ministro.

.

Volta à UFSC

O Conselho Universitário (CUn) da UFSC definiu, nesta terça-feira, 21, o Calendário Suplementar Excepcional que deve vigorar na instituição com a oferta de ensino não presencial. O CUn decidiu que haverá um período de cinco semanas de preparação para o reinício do semestre, que fica previsto para a semana de 31 de agosto. As aulas não presenciais devem durar 16 semanas, com previsão de encerramento na semana de 14 de dezembro.

.

Suínos

No primeiro semestre deste ano, Santa Catarina exportou 243,8 mil toneladas de carne suína, faturando mais de US$ 545,8 milhões. Esses são os maiores valores já registrados pelo Estado desde o início da série histórica, em 1997. Produtores catarinenses responderam por 56% de toda carne suína exportada pelo Brasil durante o ano. De janeiro a junho, foi de 20,6% o aumento na quantidade embarcada para outros países. O faturamento em relação ao mesmo período do ano anterior foi de 38,6%.